Ponta Porã, Quinta-feira, 26 de abril de 2018
04/10/2017 13h10

Artigo: E perdoa as nossas dívidas...

Por: Oziel Gustavo Marian

Divulgação
 
 

A tradução do Pai Nosso que nós evangélicos usamos, fala em dívidas, mas podemos usar a palavra ofensa, pecado ou qualquer outra que expressa o não cumprimento da vontade de Deus.

Pedir perdão para Deus exige certa coragem, pois temos que admitir que erramos. Mas chegamos diante de Deus já sabendo que ele sabe do nosso pecado, então fica fácil confessar. Mas se a dívida ou ofensa atingir outras pessoas, precisamos pedir perdão também para elas, e chegar para alguém semelhante a nós, que está no mesmo nível, e é tão pecador quanto nós e lhe pedir perdão, é bem mais difícil!

Em nossa mente, elaboramos muitas justificativas para não pedir perdão: Alguns acham que a ofensa pode ser merecida pela outra pessoa; alguns transferem a culpa para alguma situação ou para outra pessoa; alguns pedem perdão para Deus e esperam que o tempo se encarregue de ajeitar as coisas.

Mas o fato é que uma dívida ou ofensa não resolvida, não se ajeita com o tempo. Uma ofensa pode ter acontecido há 10 anos, mas se não foi resolvida, no mínimo deslize ela vem a tona e faz o maior estrago. É por isso que às vezes parece que as pessoas se ofendem com muita facilidade, quando na verdade é o acumulo de muitas mágoas que facilmente transbordam. Então, se você sabe que ofendeu alguém, vá conversar com a pessoa. Claro que a conversa pode ser tensa no início, mas o resultado será benéfico para todos.

Mas além do pedido de perdão, há o outro lado que é conceder o perdão. Na oração do Pai Nosso, Jesus ensina que assim como eu sou perdoado, devo perdoar os outros.

Inclusive, na oração, ele faz uma abordagem interessante, pois a formulação da frase diz que seremos perdoados, do mesmo jeito que perdoamos. Mas independente se o perdão de Deus vem antes ou depois de perdoarmos outras pessoas, o fato é que ambos estão interligados, é uma questão de coerência. Para entender isto melhor, leia Mateus 18.23-35.

Há uma relação entre o perdão de Deus e o perdão humano, há uma relação entre receber perdão e perdoar. Jesus diz isto, pois sabe que ninguém apenas precisa receber perdão, todos também precisamos perdoar alguém.

Mas o que é perdão? Perdoar é deixar para trás, desistir, abandonar, deixar partir, é abrir mão do direito de vingança. Se é difícil pedir perdão, muito mais difícil é perdoar. Quando Jesus fala que devemos perdoar, ele não está dizendo que é fácil. Ele deixa claro que haverá um custo. O Custo que ele teve para nos perdoar foi sua própria vida. Mas nenhum de nós terá um custo tão alto.

Mas penso que perdoar alguém, seja a coisa mais difícil que Jesus pede para nós. Porque não se trata de desculpar alguém por uma trombada. Trata-se de deixar para trás, desistir, abandonar, abrir mão do direito de vingança por uma ofensa, um xingamento, uma difamação, uma fofoca, uma agressão, ou coisas desse tipo.

Que Deus (o Senhor), te guarde e te abençoe!

Oziel Gustavo Marian – ozielmarian@gmail.com

Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Ponta Porã

Rua Clodomiro Novaes, 182, Ponta Porã-MS.

Telefone 67-3431-0311 – e-mail: ieclbpontapora@bol.com.br

Envie seu Comentário