Ponta Porã, Quinta-feira, 18 de janeiro de 2018
12/09/2017 13h30

Artigo: Santificado seja teu nome...

Por: Oziel Gustavo Marian

Divulgação: Dora Nunes
 
 

O primeiro pedido do Pai Nosso é: Santificado seja teu nome (Mateus 6.9b). Pedir para Deus que seu nome seja santificado é meio estranho, pois nem Deus, nem o nome de Deus precisam de mais santificação. A Bíblia Nova Tradução da Linguagem de Hoje – NTLH faz uma tradução melhor, ao pedir que todos reconheçam que o nome de Deus é santo. Ou seja, o problema não está no nome de Deus, mas no uso que nós fazemos do nome de Deus.

Este pedido está diretamente relacionando ao segundo mandamento; não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão... (Deuteronômio 5.11), ou seja, não usar o nome de Deus de forma inapropriada. Mas isto nos leva a uma pergunta: qual o nome de Deus?

Na língua hebraica, são quatro letras equivalentes ao YHWH, cuja pronúncia aproximada é Yahwéh que significa algo como "aquele que existe" ou "eu sou o que sou". Fora do contexto israelita ele é chamado de Javé, ou mais recentemente Jeovah. Ambas são transliterações mal feitas de um nome que nem mesmo em hebraico é possível pronunciar. Por isso, os próprios israelitas o chamavam simplesmente de SENHOR.

Em todo caso, a combinação de letras usadas para se referir a Deus não é a coisa mais importante. Podemos chamá-lo de Deus, Senhor, Criador, ou simplesmente Pai. O importante é que quando nos referimos a Deus, que seja com dignidade e respeito. Não apenas com nossa boca e língua, mas com nossa forma de viver. Porque a forma como o mundo vai conhecer a Deus, é a forma como nós o apresentamos. Se Deus é rejeitado e ridicularizado, é porque os que falam do nome dele não estão fazendo direito.

Assim, este pedido para que o nome de Deus seja santificado, é um pedido para que as pessoas façam um melhor uso da fé e do nome de Deus. Em II Coríntios 2.14b lemos: Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas. Esta é uma analogia, uma comparação, pois o cheiro revela a fonte. Pelo aroma sabemos se o cheiro vem de uma flor, ou de uma comida, ou se vem de um esgoto ou de uma coisa podre.

Qual é a fonte do nosso cheiro (testemunho)? É Jesus ou é o pecado? Temos santificado o nome de Deus por meio da nossa vida? Ou temos contribuído para manchar o nome Deus? Ao pedirmos que o nome de Deus seja glorificado ou santificado, precisamos também pedir que a nossa vida seja santificada.

Que Deus (o Senhor), te guarde e te abençoe!

Oziel Gustavo Marian – ozielmarian@gmail.com

Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Ponta Porã

Rua Clodomiro Novaes, 182, Ponta Porã-MS.

Telefone 67-3431-0311 – e-mail: ieclbpontapora@bol.com.br

Envie seu Comentário