Ponta Porã, Terça-feira, 24 de abril de 2018
11/06/2017 08h

Tecnologia na agricultura: gerenciar com precisão

Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

Divulgação (TP)
 
 

O agronegócio brasileiro em 2016 cresceu 4,48% perante o ano anterior. O total das receitas envolvidas no agro do Brasil atinge mais de um trilhão, quatrocentos e setenta e sete bilhões de reais. O antes da porteira representa 11,7 % desse total, o dentro da porteira - a produção agropecuária propriamente dita - significa 30,5% do total do agronegócio, e o pós-porteira das fazendas, que seriam a indústria, varejo e serviços, valem 57,8%.

Para realizar esses mais de 1 trilhão e quatrocentos bilhões de reais de negócios, o país utiliza cerca de 173 bilhões de reais como insumos, máquinas, produtos veterinários , sementes, adubo, defensivos.

E agora chega a inovação da agricultura de precisão, em que vamos saber cada micro detalhes. E fica aqui a pergunta: qual a qualidade da utilização dessa tecnologia no campo? Quanto erramos na administração das máquinas, na dosagem de defensivos e de adubos, no stand do plantio das sementes? Quanto erramos no manejo e uso de medicamentos e da nutrição animal?

Quando olhamos as máquinas novas, monitoradas por sensores, verdadeiros robots podemos prever que cerca de 30% desse custeio e investimentos em tecnologia não está sendo utilizado com eficácia.

Isso significa que há um potencial de melhoria de utilização da tecnologia em um equivalente a 50 bilhões de reais e, com isso, da mesma forma melhoraríamos a produtividade agropecuária do país, com mais resultados em receitas, exportações e rentabilidade.

O BIG Data na agricultura irá apontar inúmeros ganhos e avanços no uso da tecnologia e vai permitir que os produtores rurais do país inteiro ganhem na eficiência e na eficácia do uso dos insumos e das suas máquinas.

Tecnologia, não basta ter, precisa saber usar e gerenciar com precisão.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel.

Envie seu Comentário