Ponta Porã, Sábado, 21 de abril de 2018
24/09/2016 09h40

Artigo: A profecia do general presidente

Por: José Alberto Vasconcellos

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Ex-presidente da República Federativa do Brasil, ERNESTO GEISEL (1907-1996), militar e político, foi um dos principais articuladores do movimento militar em 1964, conhecido como a "Marcha da Família com Deus pela Liberdade". Presidiu a Petrobrás (1969/1973) assim como ocupou outros cargos importantes. Foi presidente da República (1974-1979); em 1977 sacramentou a separação do Estado de Mato Grosso do Sul.

Como presidente, Geisel iniciou o processo de abertura política. Caso ainda estivesse vivo, morreria ao ver o que os discípulos de Fidel Castro, escurraçados em 1964, fizeram com a Petrobrás que ele dirigiu com honestidade e esmero, e com o Brasil que ele presidiu com responsabilidade.

Os militares, com o apoio incondicional da sociedade, combateram os comunistas, organizados em grupos articulados, com ações de guerrilhas, ensinadas na cartilha de Castro. A "Marcha da Família" venceu, porque estava com Deus!

Pretendia a militância comunista, gozando das liberdades que sempre desfrutaram, subverter a ordem democrática e impor no Brasil, um regime semelhante ao Cubano.

Restabelecida a ordem pública, passado o tempo, a militância anistiada saiu dos buracos onde estivera acovardada e escondida, para mentir e cobrar vantagens, como indenizações, aposentadorias e pregar contra os militares.

O cacique da militância conseguiu, em 2002, chegar à Presidência da República. Os eleitores não acreditaram na PROFECIA, acreditaram nas mentiras do candidato LULA.. Naquelas eleições de 2002, os eleitores enganados, entenderam que LULA era melhor que GERALDO ALKIMIM, hoje governador do Estado de S. Paulo. Venceu o peão de fábrica sindicalista, fundador do Partido dos Trabalhadores, Luiz Inácio LULA da Silva, escorado na performance histórica de LECH WALESA, polonês, também peão de fábrica, político fundador do Sindicato Solidariedade. Prêmio Nobel em 1983, eleito presidente da Polônia: (1990/1995).

Presidente da República por duas vezes (2003/6-7/2010), LULA foi sucedido por sua discípula DILMA Roussef (a mulher da Refinaria de Passadena) para os períodos (2011-2014/ e 2015-2018), mas em 2016, no curso do segundo mandato, foi desbancada por um "impeachment" — que fluiu com observância de todas exigências legais — todavia ela, desvairada, sempre clamou que era golpe!

O "impeachment" foi instaurado pela não observação das leis que regulamentam a administração pública. Afastada da presidência, deixou o País com 13 milhões de trabalhadores desempregados; PIB zero; e dívidas assombrosas. Provocou o desmanche da industria nacional e a falência das empresas públicas e um número assombroso de petistas dependurados nas folhas de pagamentos. O volume dos fantasmas assusta até assombração: 1.400 funcionários lotados no Gabinete da "presidenta"; na Eletrobrás sobram 15 mil funcionários, sem ocupação. São muitos milhares de fantasmas, que infestam todos os órgãos públicos federais, vivendo dos impostos pagos por quem trabalha.

No julgamento do "impeachment" no Senado, sob a presidência de Ministro do STF bem conhecido desde o "Mensalão", praticou-se memorável afronta à Constituição, para garantir direitos inexistentes à "presidenta" demitida.

Depois de tudo, é oportuno lembrar a PROFECIA do então presidente da República, no período de 1974/1979, General de Exército ERNESTO GEISEL,verbis: Se é a vontade do povo brasileiro em promover a abertura política no Brasil. (...) Mas haverá um tempo que o povo sentirá saudade da Ditadura Militar. Pois muitos desses que lideram o fim da ditadura não estão visando o bem do povo, mais sim seus próprios interesses."

A profecia do general revela-se incontestável nos dias atuais: acertou em número, gênero e grau, embora em dimensões modestas: ele não imaginava o tamanho do rombo no patrimônio nacional. Levaram do Palácio, até os talheres e obras de arte, pertencentes ao acervo da Pátria.

17.09.2016 (4.850) Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário