Ponta Porã, Domingo, 21 de janeiro de 2018
08/04/2016 16h40

Artigo: Quando os políticos medem as forças

Por: José Alberto Vasconcellos.

Divulgação: Dora Nunes
 

O modelo político-administrativo no Brasil, onde impera o sistema presidencialista, no seu funcionamento como instituição política, têm tudo e muito mais, para priorizar transtornos em detrimento dos interesses da Nação. Tumultuam o sistema Democrático como República Federativa, com patente prejuízo para o País.

Nosso sistema, despido da prevenção que há nos regimes parlamentaristas, a cada colapso administrativo mostra a cara do caos. Nenhuma solução racional é prevista, que possa prevenir e eliminar incertezas e encurtar o tempo, para uma solução razoável, que recomponha a tranqüilidade social e recoloque a República Federativa nos eixos democráticos.

Estabelecido o desentendimento no seio da política, formam-se os bolsões de idéias antagônicas e nelas incriminações, reivindicações e o sentimento de perda de vantagens e do espaço, que o jogo de cintura exige, oxigênio necessário para respirar "democraticamente". E caso não haja intervenção que possa compor os interesses das lideranças – o que sempre acontece – o desarranjo caminhará irresolúvel para o confronto, com prejuízos irreparáveis para as instituições democráticas.

A idéia dos políticos de dividir e medir forças no seio das instituições a que pertencem, gerada pela ignorância e pela ambição onde apenas o interesse próprio conta, resulta numa ebulição que subtrai a paz social, que a Nação precisa para trabalhar e produzir. A irresponsabilidade política destrói a economia, as instituições e os mecanismos necessários ao progresso que cria e mantém os empregos.

O desarranjo institucional é filho bastardo da megalomania, que não enxerga os próprios cascos. Postos a descoberto pela ação da Justiça, medrosos, trêmulos e temerosos do possível confinamento numa jaula corretiva, os pais-da-pátria entendem, por fim, que ninguém está acima da lei. Desprezíveis corruptos, choram acovardados na solidão do confinamento.

Nos últimos estertores das suas vidas sujas, abusando das liberdades democráticas, investem contra a inteligência do brasileiro, tentando explicar à sociedade, que a TERRA É QUADRADA. Insistem em misturar água e óleo, para justificar "a cachorrada política perpetrada" e escudando-se, num tal GOLPE, fazem-se de vítimas.

O fedor da podridão que emana do esgoto político que infesta Brasília – DF. é tão forte, que chegou às manchetes dos mais importantes jornais do mundo. O sol nasce para todos, ninguém consegue tapá-lo!

Estabelecido o rompimento entre os grandes partidos políticos, a arraia miúda, constituída por dezenas de inexpressivas agremiações partidárias, que irrogando-se alguma importância, ciscam no terreiro esperando colher alguma sobra das migalhas do poder, mesmo tendo que, politicamente, tenham que se prostituir.

As acusações mútuas entre os bolsões partidários; as disputas entre as presidências da Câmara e do Senado; e o desespero da "presidenta", que se diz vítima de um "GOLPE"; cortam o coração compreensivo e religioso da Nação!

E a "presidenta" vai mais longe: "— Que se reconhece jovem e bonita demais, para cair fora do governo, pela ação de um "GOLPE", arquitetado pela inveja dos derrotados nas urnas. E...!!!???"

A dívida interna do Brasil, segundo a imprensa, avizinha-se dos TRÊS TRILHÕES DE REAIS, o que nos faz lembrar do comunista Lênin e do que ele escreveu como premissa, para a implantação do comunismo, no seu Decálogo de 1913, confira - verbo ad verbum: " 6. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;".

O PT cumpriu sua missão com empenho e fidelidade a Lênin.A credibilidade do Brasil no exterior, atualmente, é zero! A inflação come os salários e produz o desemprego que já assola o lar de mais de NOVE MILHÕES de trabalhadores. A saúde, a educação e a segurança, com o concurso de um Congresso omisso e desprovido de caráter, estão falidas, o que galvaniza o fracasso desse governo petista, mentiroso e desacreditado!

Cada vez mais, cobra impostos espoliando o trabalhador que diz defender. Gasta mais do que arrecada, pagando altos salários para militantes sem profissão e aposentadorias para comunistas expelidos em 1964. Falido o Tesouro, infringindo a lei da responsabilidade fiscal, sacou dinheiro nas instituições financeiras, para "aterrar" os buracos que fez no orçamento da União, para cabalar votos!

Agora, quando a "Operação Lava-Jato enceta combate aos parasitas capitaneados pelo PT, que infestam a República e têm a corrupção como prioridade, a "presidenta" socorre-se, usando como advogado de defesa, funcionário público pago pelo Erário, no caso o ex-ministro da Justiça, que se abanca, bem remunerado, para também MENTIR!

31.03.2016 (4910) Membro da Academia Douradense de Letras.(josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário