Ponta Porã, Sábado, 21 de abril de 2018
28/01/2017 05h40

Retalhos de pouca vergonha por José Alberto Vasconcellos

Essa orgia tributária contamina os valor dos combustíveis e também do feijão e do arroz, que os pobres precisam comer para não morrerem de fome e justifica, igualmente, os recursos disponíveis do senador "Feio"!

Divulgação (TP)
 
 

Um dos senadores do PT, aquele que mais rosna em plenário, contra tudo e contra todos, menos contra o seu amado chefe Lula, a quem defende com unhas e dentes assim como seu partido, o PT, foi lembrado pela imprensa em data recente, confira, verbis: "QUE FEIO! – Azevedo detalhou ainda repasses feitos ao senador Lindbergh Farias. Com o codinome "Feio", ele recebeu 3,2 milhões de reais em suas campanhas. O dinheiro era entregue no escritório do petista, no Rio." (Veja, ed. 14.12.16, pág. 50).

E mais, sobre o mesmo: "DOCE VIDA. A propósito, nos restaurantes do Rio, "Feio" (Lindbergh Farias) é conhecido por pagar contas de até 8000 reais em cédulas de 100 e 50 ." (op. cit. mesma página 50).

"Ameaçados com mais um colapso nas finanças públicas, com um governo de transição já fragilizado, os barões da República — incluindo os ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e o atual presidente Michel Temer — se juntaram com ministros do Supremo Tribunal Federal para salvar o mandato do presidente do Senado, Renan Calheiros, acusado em doze casos de corrupção (op. cit. pág. 72)

"No governo petista, Fábio Luís deixou o emprego de tratador de animais no Zoológico de São Paulo para tornar-se um notável empreendedor no ramo do entretenimento. Em onze anos, sua empresa, a Gamecorp, faturou 315 milhões de reais." (op. cit. pág. 74)

"Desembargadores e juízes aposentados ganham mais de 100.000 reais por mês, acima do teto. Aposentadorias superiores a 50.000 reais são corriqueiras na União e em unidades da federação." (op. cit. pág.90).

Agora o "tranco" é na área da saúde, verbis: "A desinformação abre espaço para duas formas de conduta médica, ambas errôneas. A primeira, destinada aos que possuem recursos, leva à adoção de procedimentos desnecessários. A segunda, atrelada aos menos favorecidos financeiramente, é a sonegação dos cuidados disponíveis." (op. cit. pág.95)

Uma única revista, a VEJA, edição de 14-12-2016, apresenta-nos inúmeras notícias sobre a pouca vergonha, acintosamente, arquitetada, desenvolvida e executada no seio da República Federativa do Brasil, que a ganância criminosa transformou numa verdadeira casa de Mãe Joana, onde todos mandam, ninguém sabe de nada, e alguns empenham-se em cobrar os mais altos tributos do mundo, para atender o custo da safadeza.

Vista de perto, uma conta do consumo mensal de energia elétrica, traz o demonstrativo do valor cobrado: Consumo R$244,63; Ad. Bandeira amarela R$2,10; Pis R$4,36; Cofins R$20,07; ICMS R$67,78; iluminação pública R$41,70 – TOTAL = R$380,64. Assim verificamos que uma conta relativa ao consumo no valor de R$244,63 teve o acréscimo de R$136,01, ou seja:55.59%, mais da metade do valor original, 56% de acréscimo! Pior ainda são as contas de consumo na área rural, nestas os encargos de Cofins, Icms e Pis SÃO COBRADAS EM DUPLICATA, A TÍTULO DE SUBSÍDIO, sob a rubrica: "Outros lançamentos, Cobranças e Serviços autorizados." A diferença a maior, sustenta a mamata!

Essa orgia tributária contamina os valor dos combustíveis e também do feijão e do arroz, que os pobres precisam comer para não morrerem de fome e justifica, igualmente, os recursos disponíveis do senador "Feio"!

São inúmeros órgãos públicos federais, com elevadas dotações financeiras e muitos funcionários, para cuidar e proteger os indígenas. A esses órgãos públicos, somam-se Ong´s às centenas — todos "empenhados em assistir os indígenas" — contudo as notícias que nos chegam, dão conta de que nativos estão morrendo de fome! Índios em situação privilegiada, só os mais esclarecidos, que militam na política, orientados pela esquerda. Estes, seguindo a orientação comunista, protestam, invadem prédios públicos e imóveis rurais; fecham estradas, desfilam com cocares de índios americanos, ostentando avantajadas barrigas e brandindo ameaçadores facões.

A verdade é que a moral e os bons costumes, pelo número de crimes que testemunhamos, parece ter-nos abandonado; desse desleixo moral, além dos crimes no varejo, temos agora crimes no atacado, pela ocorrência de motins em penitenciárias lotadas, comandados por bandidos, que das celas orientam o crime nas ruas e na própria cadeia, a degola dos "colegas", com os quais reparte o espaço na jaula.

A corrupção comeu a saúde, a educação e agora a segurança pública. Um espanto!

19.01.2017 (4440) Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário