Ponta Porã, Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
19/01/2015 05h50

Feliz ano novo ! - Waldir Guerra*

As CPIs montadas no Congresso para investigar a Petrobras provaram que a oposição não tem capacidade de desmontar todo esse esquema corrupto no Brasil.

Divulgação (TP)
 
 

Neste primeiro artigo de 2015 desejo a todos meus leitores um Feliz Ano Novo. E apesar do pessimismo da maioria dos economistas, me atrevo a convidar você para uma análise não pela visão econômica, afinal, este lado a gente sabe que vai mal mesmo. Mas olharmos para mudanças que se prenunciam evidentes e devem acontecer ainda neste ano.

Este ano tem tudo para ser um ano atípico. Aliás, já começou meio estranho. Repare no que está acontecendo aos paulistanos, estão gritando de sede até o meio-dia e à tarde alguns são arrastados por enxurradas d’água – ou seja, quase morrendo afogados. Que coisa esquisita, não é?

Já nos primeiros dias de janeiro o governo anuncia novos impostos – manda recado que o imposto sobre a gasolina CIDE vai voltar e que outras contribuições terão aumentos. Sim, mas a gente não tinha a palavra da presidente que isso nunca iria acontecer? Foi a pergunta feita a um partidário dela e a resposta foi que isso não é coisa dela, a presidenta, mas do Ministro da Fazenda. Concorde comigo, não é outra coisa esquisita acontecendo neste inicio do ano?

Os jornais acabam de nos mostrar que os desvios na Petrobras somam 12 bilhões de reais e afirmam que esses valores teriam sido usados pelos políticos na última campanha. Mas se somarmos todas as despesas declaradas por todos os candidatos juntos, não chegaremos a dez por cento dos valores desviados da Petrobras. Uma coisa inexplicável, não é mesmo? Inexplicável porque não seria possível descarregar todo esse valor numa campanha política.

Sim, mas onde foi parar a maior parte desses valores, então? Você não acha muito estranho isso tudo?

Lá fora a imprensa mundial classifica esses desvios na maior companhia brasileira como a maior rapinagem já feita numa empresa de capital aberto no mundo. Sim, tudo isto já dito no final do ano passado, mas neste começo de ano aqui no país já se comenta que o que aconteceu na Petrobras seria “café pequeno” perto do que pode ter acontecido com o BNDS e os Fundos de Pensão. Isso é mais do que estranho, é assustador.

Assusta porque você, como eu, não acreditávamos que poderia haver desvios maiores do que aqueles mostrados no Mensalão. Agora com o petrolão a gente vê que o mensalão era “café pequeno” perto desta roubalheira na Petrobras.

As CPIs montadas no Congresso para investigar a Petrobras provaram que a oposição não tem capacidade de desmontar todo esse esquema corrupto no Brasil. Mas parte desse foguete caiu lá fora e, tudo indica, provas virão de fora para completar um grande trabalho da Justiça e com isso por um fim no petrolão.

Na semana passada a senadora Marta Suplicy diz em entrevista ao Estadão que o PT está dividido entre lulistas e dilmistas; diz que a presidenta está se afastando do ex-presidente Lula. Sim, mas se afastando para onde? Vai se apoiar em quem? Nos políticos do PMDB? Ou vai continuar somente com Aloísio Mercadante e os aloprados do PT?

Agora, o segundo mandato dela já não preocupa mais somente pelo lado econômico, mas pela governabilidade.

Caro leitor pense comigo, muitas coisas estranhas estão acontecendo nesse começo de ano e prenunciam que – não somente o PT senadora Marta - se este novo governo não mudar acabará ainda neste ano.

  • Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do governo e deputado federal. wguerra@terra.com.br

Envie seu Comentário