Ponta Porã, Quarta-feira, 17 de janeiro de 2018
14/03/2016 06h50

Vamos lá! Vamos pra rua - Waldir Guerra

Não posso me calar assim como fizeram os venezuelanos quando resolveram se abster de votar e permaneceram calados.

Divulgação (TP)
 
 

Tomara que você também vá à passeata neste domingo. Já me propus ir – digo assim porque escrevi este artigo antes de sair de casa. Irei porque preciso fazer uma sélfie de minha presença na manifestação deste dia 13 de março de 2016. Preciso documentar esta minha manifestação! Preciso fazer isso para demonstrar minha solidariedade a todos que estão envolvidos nessa luta para desmontar a corrupção nas administrações públicas do Brasil. Depois, vou fazer questão de mandar uma foto ao Juiz Sérgio Moro e toda Justiça Federal. Também vou enviar aos membros do Ministério Público Federal que estão se expondo nessa arriscada empreitada. Claro, enviarei uma imagem também pro japonês e todos os agentes da Policia Federal. Uma coisa tipo assim, ó: fui pra rua porque concordo com vocês.

Não passava na minha cabeça a ideia de sair pra rua. Nas outras vezes em que houve manifestações também não, mas agora fui cobrado pela consciência: se não fores, então, nunca mais critique nada e nem ninguém; aguente tudo quieto. Não posso, pensei.

Não posso me calar assim como fizeram os venezuelanos quando resolveram se abster de votar e permaneceram calados. Hugo Chaves se apossou do poder; tornou-se discípulo de Fidel Castro; implantou o bolivarianismo em seu país e saiu pela América Latina pregando esse esdrúxulo socialismo. Quando viu que iria morrer fez seu sucessor, o atual presidente, Nicolás Maduro. Hoje a Venezuela está num estado lastimável, onde até comida falta lá. Então vou pra manifestação, sim, pois não quero que o Brasil continue esse caminho que arruinou os venezuelanos.

Além disso, quero guardar documentada a presença na rua para que sirva de exemplo a meus amigos e principalmente aos netos. Preciso, com essa prova, mostrar-lhes de que lado o avô estava quando os "aloprados" fizeram o diabo para manter o poder em suas mãos. Ganharam várias eleições com desvio de recursos públicos e, com isso, destruíram a maior empresa brasileira e desmoralizaram o Brasil perante o mundo desenvolvido. Pior, me fizeram de bobo – e a você também.

Um experiente jornalista disse-me que não preciso me preocupar em ser fotografado, pois todos serão nessa manifestação. A ordem é identificar todos os manifestantes, especialmente os contrários para depois desmascarar muitos dos "chapas-brancas".

A polícia está avisando que não serão permitidas pessoas com máscaras. Ótimo! Todo mundo de cara limpa, então.

Em poucos dias a Câmara dos Deputados cassará o seu presidente pela falta de ética ao ter mentido a seus pares. Depois, então, será iniciado o longo processo de impeachment contra a presidente do Brasil, provavelmente também por suas mentiras para se reeleger. Bom mesmo seria se ela renunciasse, assim faríamos a travessia mais rapidamente para voltarmos ao caminho da prosperidade.

Contudo, a gente sabe que ela não pode renunciar, não pode porque milhares de lulopetistas não permitem, pois perderiam sua boquinha, quer num cargo direto, ou então, numa boa renda dentro de uma ONG. Essa máquina governamental lulopetista está muito custosa aos brasileiros; Vamos pra rua dar força àqueles que a estão desmontando. Vamos lá!

Vamos lá porque está chegando a hora de desmontar esse que é o maior escândalo que aconteceu neste país. Está na hora de cantarmos novamente a música de Geraldo Vandré: "vem vamos embora que esperar não é saber. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer".

  • Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal. (wguerra@terra.com.br)

Envie seu Comentário