Ponta Porã, Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
26/10/2017 10h50

Amambai quer retornar ao cenário de grande produtor de erva mate em MS

O projeto deverá ter abrangência em dez municípios

Amambainoticias
 
 
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

A cidade que já foi protagonista no cultivo de erva-mate em Mato Grosso do Sul, no século passado, através da Cia Erva Mate Laranjeiras, pretende, agora, retomar a produção do vegetal a um nível considerável. O primeiro passo sobre esse audacioso projeto foi dado através de uma reunião, na última sexta-feira (20), com membros da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), prefeitura, legislativo federal e Sudeco – Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste.

A mesa de honra do evento foi composta pelo diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini, o prefeito Edinaldo Luiz Bandeira, o assessor do senador Moka, propulsor do projeto que captou recursos federais, Nelson Fraga, e o superintendente do Desenvolvimento do Centro-Oeste do Ministério da integração Nacional (Sudeco), Antônio Carlos Nantes.

 
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

O principal intuito da reunião foi divulgar o projeto "Fortalecimento da Cadeia Produtiva da Erva-Mate na região sul fronteira do Estado do Mato Grosso do Sul". O projeto que prevê o investimento de R$ 2,7 milhões em recursos sendo R$ 2.500.000,00 via Ministério da Integração Nacional – Sudeco, com contrapartida estadual de R$ 250.000,00.

"Os R$ 2,7 milhões do projeto é fruto de uma emenda parlamentar do senador Moka com uma contrapartida do governador Reinaldo Azambuja", destacou o diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini.

Atualmente, Mato Grosso do Sul conta apenas com 350 hectares dedicada à erva-mate. Para suprir o consumo interno do produto é necessário uma expansão de 2 mil hectares. "90% da erva do nosso tereré vêm do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e os países vizinhos, Argentina e Paraguai", afirmou Felini.

Pretende-se com o presente programa implantar 210 hectares de novos ervais, distribuídos em 10 municípios sul fronteiriços do estado de Mato Grosso do Sul, envolvendo diretamente 210 beneficiários e o incremento de pelo menos 2,1 mil toneladas sendo 10 toneladas por hectare a cada safra.

A gestão do projeto será realizada pela Agraer através de seu escritório central localizado em Campo Grande em parceria com a Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, e Sindimate (Sindicato das Industrias de Erva Mate e Derivados do Mato Grosso do Sul).

O projeto deverá ter abrangência em dez municípios, são eles: Antônio João, Amambaí, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Iguatemi, Japorã, Laguna Caarapã, Paranhos, Ponta Porã e Tacuru.

Para o sucesso do trabalho serão promovidas ações de assistência técnica como o preparo de solo com acompanhamento técnico; distribuição dos insumos (Adubo orgânico, adubo químico, polímero retentor de água e sementes das leguminosas aos agricultores); dia de campo na Unidade de Pesquisa na área de pesquisa da Agraer no município de Ponta Porã; preparo das covas para receber posteriormente a erva mate e plantio em linha das leguminosas e visita técnica as propriedades para observar o desenvolvimento das leguminosas a fim de saber se o sombreamento esta adequado para o plantio das mudas de erva mate.

Além do planejamento, apoio e organização dos produtores para o recebimento das mudas de erva-mate, distribuição e plantio das mudas da planta, acompanhamento da evolução dos plantios e capacitação de aproximadamente 40 técnicos dos dez municípios envolvidos, com duração de pelo menos 16 horas teórica e 4 horas práticas.

Envie seu Comentário