Ponta Porã, Domingo, 21 de janeiro de 2018
13/06/2017 07h30

Vazio sanitário da soja começa no dia 15 de junho no MS

Proibição determinada pela Iagro como maneira de prevenir a disseminação da ferrugem asitática vai até 15 de setembro.

G1 MS
 
 
Iagro determina proibição do plantio da soja a partir de 15 de junho para impedir o avanço da ferrugem asiática (Foto: Reprodução/TV Morena) Iagro determina proibição do plantio da soja a partir de 15 de junho para impedir o avanço da ferrugem asiática (Foto: Reprodução/TV Morena)

Começa nesta quinta-feira, dia 15 de junho, e vai até 15 de setembro, o vazio sanitário da soja em Mato Grosso do Sul. Neste período, a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), proíbe o cultivo do grão, como forma de prevenir a disseminação de uma das principais doenças a atacar a oleaginosa, a ferrugem asiática.

Segundo dados do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a soja é o principal produto do setor no estado. Sozinha, a oleaginosa representou 29,54% do VBP do estado em abril deste ano, representando R$ 8,541 bilhões de um total de R$ 28,907 bilhões de todo o segmento, que engloba ainda outras culturas e a pecuária.

O VBP é um indicador da atividade calculado com base nos volumes de produção e preços médios da agricultura e pecuária do estado.

Segundo dados do Consórcio Antiferrugem, uma parceria público-privada que atua no combate a ferrugem asiática, no ciclo recém encerrado (2016/2017), o estado registrou 64 casos da doença, o que representa uma redução de 4,48% frente aos 67 da temporada anterior (2015/2016).

Por um período de 90 dias os produtores não poderão cultivar o grão no estado e ainda deverão eliminar todas as plantas voluntárias, conhecidas como guaxas ou tigueras, nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos.

O descumprimento das normas do vazio, de acordo com a legislação estadual, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil unidades fiscais estaduais de referência (Uferms), que com a cotação de junho em R$ 24,66, pode representar até R$ 24.660.

Envie seu Comentário