Ponta Porã, Terça-feira, 24 de abril de 2018
28/10/2017 16h10

Aplicação de recursos do FGTS vai gerar 6,7 milhões de empregos até 2021.

A previsão está no Orçamento 2018-2021, apresentado pelo Conselho Curador do FGTS na última terça-feira (24).

Dourados Agora
 
 
Setor de habitação deve gerar 1,22 milhão de vagas anuais
Arquivo/Agência Brasil. Setor de habitação deve gerar 1,22 milhão de vagas anuais
Arquivo/Agência Brasil.

Até 2021, os investimentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vão gerar 6,7 milhões de empregos diretos no Brasil.

A previsão está no Orçamento 2018-2021, apresentado pelo Conselho Curador do FGTS na última terça-feira (24).

Somente no próximo ano, de acordo com a proposta, a aplicação dos recursos vai gerar 1.749.891 novas vagas. Em 2019 e 2020, a estimativa é de 1.659.900. Por último, em 2021, estão previstas a abertura de 1.648.350 oportunidades no mercado de trabalho.

A geração de empregos será possível devido aos investimentos do FGTS em habitação, saneamento e infraestrutura, que somarão cerca de R$ 330 milhões nos próximos quatro anos.

"Esses recursos serão alocados de forma a contribuir significativamente na retomada do crescimento do País, ajudando na recuperação da economia e na geração de empregos para os trabalhadores brasileiros", afirmou o ministro do Trabalho e presidente do Conselho Curador, Ronaldo Nogueira.

Na área de habitação popular, serão mais 1,22 milhão de vagas anuais nos próximos quatro anos. O setor será responsável pela maior parte da geração dos empregos, já que receberá R$ 64 bilhões até 2021.

Para a infraestrutura, que contará com R$ 7 bilhões em 2018, a expectativa é que sejam abertas cerca de 191 mil vagas já no próximo ano. Nos três anos seguintes, a previsão é de 164 mil empregos anuais em infraestrutura urbana.

Outros 151 mil postos de trabalho em 2018 serão abertos no setor de saneamento, refletindo os investimentos de R$ 1,65 bilhão. De 2019 a 2021, a média prevista é de 132 mil vagas anuais.

Envie seu Comentário