Ponta Porã, Terça-feira, 21 de novembro de 2017
17/02/2017 14h40

Sete atitudes para reduzir os gastos em casa

As pessoas sempre dizem que não têm mais de onde reduzir os gastos, mas, ao fazer uma boa análise, observam que é sim possível.

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Se as contas não estão fechando, é importante se atentar aos pequenos gastos, despesas e compras feitas de forma desordenada. Em média, 25% dos gastos mensais são supérfluos ou desnecessários. As pessoas sempre dizem que não têm mais de onde reduzir os gastos, mas, ao fazer uma boa análise, observam que é sim possível.

Quando se fala em educação financeira e em economizar, a maioria das pessoas afirma imediatamente: "Com a quantia que ganho, não tenho como economizar!". Esqueça essa postura negativa, do contrário ela acabará impedindo que você tome as ações necessárias. A primeira mudança deve ser mental, ao acreditar que é possível sim mudar a sua situação.

Para que isso ocorra de forma mais assertiva, é importante fazer uma reunião familiar e falar sobre os sonhos da família, seguido do que pode ser feito para diminuir ou eliminar despesas supérfluas para que possam conquistar os sonhos. Para mostrar melhor essa questão, vou detalhar alguns pontos, dentre vários outros, que acredito que sejam práticos e do cotidiano:

1- Os gastos com energia elétrica são os que mais apresentam excessos. Basta pensar em quanto tempo usa o chuveiro e em quantas vezes deixa as luzes acesas e a geladeira aberta. Sem contar no uso de televisão e de computador;

2- O uso de telefone também deve ser repensado, fazendo uma análise entre os valores do fixo e do celular. Quando possível, dê preferência ao uso do fixo, já que é menos custoso. É preciso comparar as tarifas entre operadoras de tempos em tempos, visando o melhor negócio;

3- A reciclagem de produtos também deve ser priorizada. O desperdício nos lares brasileiros é alto, muitos ignoram que é possível reciclar alimentos, roupas, móveis e até mesmo materiais escolares, sem perder a qualidade;

4- Antes de ir ao supermercado, faça uma lista de compras e procure deixar as crianças em casa. Também tenha cuidado com as promoções; quantas vezes compramos o famoso "pague dois e leve três" e não usamos toda a quantia;

5- Compare os preços quando for às compras. Seja em lojas, supermercados e até restaurantes, é fundamental que se faça essa comparação, pois as variações são muitas. Evite produtos de "grife", dê preferência a qualidade e não o status;

6- Economize ao utilizar seu veículo. Nem sempre é preciso fazer tudo de carro, caminhar é saudável e pode ser econômico. Além disso, é importante manter o carro revisado para que imprevistos não estoure as finanças;

7- Na utilização de gás e água também é possível economizar. Evite deixar o fogo, o chuveiro e as torneiras abertas sem necessidade e busque reutilizar a água.

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.

Envie seu Comentário