Ponta Porã, Terça-feira, 21 de novembro de 2017
19/05/2017 06h40

Ação contra pedofilia em MS prende advogado, estudante e comerciante

Os agentes da PF encontraram material pornográfico com os suspeitos presos na ação.

G1 MS
 
 
Esse notebook foi apreendido durante o cumprimento dos mandados (Foto: Divulgação;PF) Esse notebook foi apreendido durante o cumprimento dos mandados (Foto: Divulgação;PF)

Entre as três pessoas presas pela Polícia Federal em ação contra pedofilia na manhã desta quinta-feira (18), em Campo Grande, estão um advogado, um estudante de direito e um comerciante. Havia um mandado de busca e apreensão contra eles. Os policiais encontraram imagens de pornografia infantil nos computadores dos investigados.

Segundo a PF, um dos investigados compartilhava imagens pornográficas no momento em que os agentes chegaram para fazer as buscas.

As prisões foram feitas no bairro Guanandi, Chácara Cachoeira e Vila Carvalho, após três meses de investigações.

Ao todo foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão, todos na capital sul-mato-grossense. Um deles foi na casa de um professor que trabalha com crianças e adolescente. No local, a polícia encontrou vasto material de imagens pornográficas, mas ele não estava na casa.

De acordo com o delegado Marcelo Alexandrino, não existe um perfil em comum entre os pedófilos. "O crime de pedofilia não tem sexo, cor ou classe social. Pedófilo não tem perfil, pode ser seu vizinho, seu amigo. Na última operação, falei que ia bater na porta de quem tivesse compartilhando material pornográfico e que traria preso. Desse vez fomos em 10 casas e arrastamos três presos. Da próxima vez, espero aumentar ainda mais o número de prisões de quem estiver praticando esse crime", ressaltou.

Ele ainda reforçou o alerta para as famílias de que os crimes sexuais geralmente ocorrem em ambiente familiar.

"A grande prevenção é não confiar em ninguém, porque o pedófilo pode ser gente conhecida, um parente ou alguém de confiança. E, em casos de desconfiança, denuncie. Não é vergonha denunciar nem ser vítima", afirmou.

O delegado da PF Cléo Mazzotti ressaltou a importância da denúncia. "É fundamental e a Polícia Federal tem dado importância às denúncias. Vários trabalhos nossos são oriundos de denúncias da sociedade. É importante que a sociedade confie nas instituições, temos ferramentas e aprimoramos para combater os crimes, mas precisamos das denúncias", finalizou Mazzotti.

Os presos ainda serão ouvidos pela PF e todo o material apreendido será encaminhado para perícia. A princípio, um deles confessou a prática de armazenamento de material pornográfico.

Operação nacional

A PF faz a ação antipedofilia em Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e mais 16 estados nesta quinta-feira (18), data instituída como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O objetivo é apreender material e objetos relacionados ao compartilhamento e a posse de imagens e vídeos de pornografia infantil.

Durante as investigações, a PF identificou diversos usuários que baixavam e compartilhavam arquivos com imagens e vídeos de cunho pornográfico infanto-juvenil. Os suspeitos utilizavam softwares para compartilhamento de arquivos com usuários de todo o mundo, e ainda Intagram. Twitter, Facebook e outros.

Para todo o país foram expedidos 93 mandados de busca e apreensão. A Justiça também autorizou duas prisões preventivas (por tempo indeterminado) e uma condução coercitiva, quando o suspeito é levado a depor.

Os investigados podem responder por posse e compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, com penas previstas que variam de 1 a 6 anos de prisão.

Segundo a PF, a operação foi batizada em homenagem a Araceli Cabrera Sánchez Crespo, uma menina brasileira de 8 anos que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973. Posteriormente, a data ficou instituída como o "Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes".

As ações ocorrem no Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Envie seu Comentário