Ponta Porã, Sábado, 24 de fevereiro de 2018
15/01/2018 08h50

Caso Alêeh Molina: PM acusado de atirar em adolescente em Ponta Porã, vai a júri popular em Dourados

Na época, o PM alegou que o motociclista teria tentado atropelá-lo, mas foi desmentido por testemunhas.

Campograndenews
 
 

Em decisão unânime, os desembargadores da 3ª Câmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça) decidiram por manter a acusação de homicídio qualificado contra o policial militar Nader Cáceres Charif, de 27 anos, e levá-lo a júri popular. O PM é acusado de atirar em um adolescente quando ele tentou fugir de uma blitz da qual o agente participava.

Consta na denúncia que no 21 de maio de 2013, por volta das 23h30, Alessandro Molina, de 17 anos, voltava do trabalho, conduzindo uma motocicleta de origem estrangeira e levando outro adolescente de carona. No momento em que se deparou com o bloqueio, na rua Pedro Ângelo da Rosa, em Ponta Porã, a vítima pediu que o passageiro descesse e fez uma manobra de retorno para fugir.

Foi quando o policial correu atrás do motociclista e mirando contra ele, disparou varias vezes. Apenas um tiro acertou o adolescente nas costas que ainda conseguiu conduzir a moto por certa distância e depois caiu morto.

Para a acusação, o PM tem de ser julgado por homicídio doloso (quando há a intenção de matar) qualificado por ter utilizando recurso que dificultou a defesa da vítima, uma vez que os disparos foram efetuados quando o motociclista estava de costas e já se afastava do local.

Primeiro, o réu alegou que os disparos foram acidentais. Depois que a Justiça determinou que ele fosse a júri, entretanto, a defesa recorreu ao TJMS, argumentando que o PM agiu em legítima defesa e no cumprimento do dever legal como policial e por isso, pedindo a absolvição do servidor.

Na época, o PM alegou que o motociclista teria tentado atropelá-lo, mas foi desmentido por testemunhas.

O relator do recurso, desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva, entende que "o pedido de absolvição sumária não deve ser acolhido, tendo em vista que o acusado foi apenas pronunciado, e cabe ao Tribunal do Júri apreciar todas as provas e indícios de autoria e materialidade".

O Juri popular vai ocorrer na cidade de Dourados, no Plenário do Tribunal do Júri, situado à Av. Presidente Vargas, nº: 210, Centro, no dia 23 de janeiro de 2018 ás 13h30min. A família do jovem Alex Sandro da Silva Molina, que na época tinha 17 anos, falando a reportagem do site Pontaporainforma, disse que espera que a justiça prevaleça e o policial seja condenado pelo crime que cometeu.

Envie seu Comentário