Ponta Porã, Quinta-feira, 19 de abril de 2018
24/12/2017 06h50

Empresário preso com armas e dinheiro falso em ação da PF e Receita é investigado há 1 ano

Empresário teve prisão preventiva decretada na última sexta-feira (22) e foi transferido para presídio.

G1 MS
 
 
Material apreendido na casa de empresário em MS (Foto: Graziela Rezende/G1 MS) Material apreendido na casa de empresário em MS (Foto: Graziela Rezende/G1 MS)

Alvo de muitas denúncias, o empresário Marcel Hernandes Colombo, de 31 anos, é investigado pela Receita Federal há pouco mais de um ano.

"Houve investigação e tivemos muitos elementos para deflagrar a operação. Nós também fizemos cruzamento de dados e analisamos outras acusações, anteriores ao que chegou ao conhecimento da Polícia Federal", afirmou ao G1 neste domingo (24), o delegado adjunto Henry Tamashiro.

As informações, ainda conforme Tamashiro, seriam sobre os gastos incompatíveis com a venda dos produtos. "Fizemos o levantamento, além de roupas e cerca de 20 perfumes, que foram avaliados em R$ 253 mil. No caso dos eletrônicos, a apreensão totalizou R$ 194 mil. Os valores são referentes ao preço de compra nos Estados Unidos, mas o valor de revenda pode ser ainda maior", comentou o delegado.

 
Roupas apreendias em ação contra importação ilegal, em Campo Grande, MS (Foto: PF/Divulgação) Roupas apreendias em ação contra importação ilegal, em Campo Grande, MS (Foto: PF/Divulgação)

A próxima etapa da operação, com a apreensão dos bens, é encaminhar o processo ao Ministério Público Federal (MPF). "O juiz deve decidir o que fazer no caso dos objetos. No processo administrativo, os envolvidos podem apresentar documentos e estes serão analisados e existe ainda a ação criminal com relação ao crime de descaminho", explicou.

Vida de luxo

No período em que a polícia apurou a conduta dos suspeitos, descobriu a vida de luxo que os vizinhos ressaltaram. Nas redes sociais, conforme a polícia, Marcel teria postado momentos em que esteve com figuras públicas, cantores famosos, além de ostentar viagens e motos esportivas. "Os vizinhos também informaram que o suspeito promovia festas regada a bebidas alcoólicas importadas, em sua residência no bairro nobre", comentou.

Embriaguez

Ainda conforme a investigação, em novembro deste ano, o suspeito foi levado para a delegacia, após uma ocorrência de perturbação no avião. "O comandante pediu um reforço policial, dizendo que ele estava embriagado e causando tumulto na aeronave, dentro do aeroporto internacional. Nossa equipe foi até lá e o levou para delegacia", disse o delegado responsável pelas investigações, João Antônio Franco.

Outro fato descoberto pela PF, neste período, é a divulgação de um vídeo intímo, por parte do empresário. Os agentes constataram que ele possuía uma namorada e, após o termino do relacionamento, teria postado as imagens na internet. Os acessos, de acordo com os agentes, ultrapassaram a 1 milhão.

Prisão

A Justiça Federal decretou a prisão preventiva do empresário na última sexta (22), quando ele foi flagrado com armas na residência durante a Operação Harpócrates, que investiga importação de produtos ilegal em Campo Grande. O G1 não conseguiu contato com a defesa do empresário. Ele foi transferido para o Presídio de Trânsito.

Na casa de Marcel, na Vila Nascente, também foram recolhidos dinheiro - dólares e reais -, moeda falsa, relógios, soco inglês e mercadorias que seriam vendidas e medicamentos importados. Foi preciso um caminhão baú para levar o que estava lá para ser apreendido. Além da residência de Marcel, foram cumpridos outros três mandados, sendo dois em dois comércios e um em uma casa que seria do sócio do empresário.

Entenda o caso

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal prenderam Marcel, durante a manhã de quinta-feira (21). A suspeita é que ele estaria importando mercadorias sem o devido pagamento de impostos. Na casa dele, a poucos metros da Receita Federal, foi apreendida uma pistola. Lá também foram recolhidos dinheiro - dólares e reais -, relógios, soco inglês e mercadorias que seriam vendidas. Foi preciso um caminhão baú para levar o que tinha por lá para ser apreendido.

Envie seu Comentário