Ponta Porã, Sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
22/12/2017 15h40

Justiça de Dourados libera 265 presos para a saída natalina.

Saidão contempla detentos do semiaberto que poderão ficar fora da unidade até o dia 28. PM fará a fiscalização na residência dos contemplados.

Jornal O Progresso
 
 
Policiais em operação de fim de ano farão visitas periódicas na casa dos albergados contemplados (Foto: Marcos Ribeiro). Policiais em operação de fim de ano farão visitas periódicas na casa dos albergados contemplados (Foto: Marcos Ribeiro).

A Justiça de Dourados autorizou a saída temporária de 265 presos do Regime Semiaberto para que possam passar os festejos de Natal e ano novo com familiares. Serão dois períodos de liberação.O primeiro acontece de 21 a 28 de dezembro e beneficia 114 presos. O segundo é no período de 29 de dezembro a 05 de janeiro e libera 124 presos. Outras 27 presas serão liberadas no período de 26 de dezembro a 02 de janeiro. Durante a saída temporária eles estarão dispensados do compromisso de passar a noite na unidade prisional.

Para monitorar os detentos, a Polícia Militar fará fiscalização, através de visitas periódicas para identificar se o albergado está em casa no período noturno conforme determina a legislação. É proibido deixar a residência após às 20h. "Crimes como furtos, roubos e até homicídios aumentam naturalmente no final de ano e a saída temporária é apenas um dos fatores que contribuem para esse acréscimo. No entanto, através das operações da PM nesse período estamos conseguindo reduzir os índices de criminalidade significativamente", destaca o coronel Carlos Silva, comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar de Dourados.

Segundo ele, em caso de flagrante do preso que não estiver em casa no horário estipulado pela justiça, a PM relatará o caso ao Ministério Público Estadual e ele poderá ser penalizado com a regressão de pena para o regime fechado. "A cada operação da PM, de seis a 10 presos são flagrados descumprindo a determinação", acrescenta.

Segundo Carlos Silva, a maior queixa da população nesses períodos é o medo de assalto. "A maior parte dos crimes envolvem assaltos, principalmente neste período de maior fluxo de dinheiro circulando no comércio e pagamento de salários. Sabendo disso, a PM estará atenta para coibir esse tipo de crime", destaca, observando que muitas vezes nem é o preso quem comete o crime, mas pessoas que estão no seu círculo de relacionamento. "Muitos dos detentos que saem são trabalhadores e não causam problema, mas se 10% deles resolvem reincidir, já são cerca de 10 presos cometendo assaltos.

Em anos passados foram registrados casos de alguns que aproveitaram esse período para cobrar dívidas do tráfico, o que obriga que outros cometam crimes para pagar esses débitos", alerta.

Para receberem o benefício os detentos devem cumprir requisitos básicos como o bom comportamento, não ter cometido falta grave na prisão, ou ter mandado de prisão em aberto. Além disso precisa ter cumprido 1/6 da pena ou 1/4 da condenação em caso de ter sido reincidente. Quem não volta no prazo estipulado é considerado fugitivo e vai ser procurado pela polícia, além de regredir de pena.

Os diretores das unidades prisionais fornecem à Justiça as fichas disciplinares dos presidiários. Quem não volta no prazo estipulado é considerado fugitivo e vai ser procurado pela polícia, além de regredir de pena.

O benefício da Saída Temporária visa a ressocialização de presos, através do convívio familiar e da atribuição de mecanismos de recompensas e de aferição do senso de responsabilidade e disciplina do reeducando. É concedido apenas aos que, entre outros requisitos, cumprem pena em regime semiaberto e aberto.

Envie seu Comentário