Ponta Porã, Segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
22/11/2017 18h40

Justiça de MS nega segredo e outros pedidos de estudante que matou advogada no trânsito.

A decisão afirma que houve requerimentos na busca de esclarecimento dos fatos, entre eles, verificar estado de ânimo e se jovem bebeu antes da batida.

G1MS
 
 
Peritos e policiais em vistoria no local do acidente que matou advogada, em Campo Grande, MS (Foto: Reprodução/ TV Morena). Peritos e policiais em vistoria no local do acidente que matou advogada, em Campo Grande, MS (Foto: Reprodução/ TV Morena).

O despacho do juiz Carlos Alberto Garcete, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, em Campo Grande, aponta que foram indeferidos os pedidos do estudante de medicina João Pedro da Silva Miranda Jorge, de 23 anos, envolvido no acidente que causou a morte da advogada Carolina Machado Albuquerque, de 24 anos.

A decisão, publicada no Diário Oficial da Justiça, nesta quarta-feira (22), afirma que houve "requerimentos na busca do amplo esclarecimento dos fatos relacionados ao acidente de trânsito", entre eles verificar o estado de ânimo e, se possivelmente, a jovem ingeriu alguma bebida alcoólica ou até mesmo falava ao celular no momento da colisão.

Com relação ao andamento do inquérito, o magistrado "indeferiu a tramitação do procedimento por estar fora das hipóteses legais previstas para tanto". Até o momento, conforme o delegado Geraldo Marim Barbosa, responsável pelas investigações, sete testemunhas prestaram depoimento. Com as oitivas, ficou descartado o crime de omissão de socorro. "Ele estava sendo socorrido por populares até o início do atendimento a outra vítima, saindo logo depois", comentou Marim.

O Acidente

O acidente ocorreu no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Doutor Paulo Machado, na madrugada de quinta-feira (2). Carolina Albuquerque estava com o filho de 3 anos quando o carro foi atingido pela caminhonete que era dirigida pelo estudante de medicina, de 23 anos.

O filho da advogada foi internado na Santa Casa. O menino quebrou a clavícula e teve fratura de costelas. Ele recebeu alta do hospital na tarde de domingo (5). Segundo a perícia, o motorista, que fugiu do local após o acidente, estava em alta velocidade e testemunhas disseram que ele apresentava sinais de embriaguez.

O estudante de medicina se apresentou à polícia no sábado (4). O jovem procurou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro e se entregou. De acordo com a polícia, foi cumprida a prisão preventiva do suspeito, decretada pela Justiça.

Envie seu Comentário