Ponta Porã, Domingo, 18 de fevereiro de 2018
23/01/2018 14h20

‘Querem marcar gol de mão contra mim’, diz Puccinelli ao planejar eleição 2018

Ex-governador se disse inocente em denúncia de corrupção.

Midiamax
 
 

O ex-governador André Puccinelli, presidente regional do MDB, que na manhã desta segunda-feira (22) reuniu a cúpula do partido em Mato Grosso do Sul para discutir a eleição de 2018, disse que as denúncias de corrupção feitas contra ele não prejudicarão sua campanha ao governo estadual.

"Sou inocente. Até agora são as mesmas coisas (denúncias) de vários e vários anos. Querem marcar gol impedido e com a mão contra mim", disse o ex-governador.

Puccinelli se tornou réu no âmbito da Operação Lama Asfáltica depois que a 3ª Vara da Justiça Federal, em Campo Grande, aceitou a denúncia feita pelo MPF (Ministério Público Federal) contra André e mais 12 pessoas, acusados de crimes como corrupção passiva, fraude em licitação e peculato.

Pré-candidato à reeleição pela sigla, o senador Waldemir Moka também refutou que as denúncias contra o correligionário atrapalhem o partido em sua campanha. "Ele (André) não foi condenado, e pode ser que a ação seja arquivada no futuro", frisou o parlamentar.

Planejamento

Durante o encontro, que aconteceu na sede do partido na Capital, os emedebistas definiram um roteiro de ‘caravanas’ em 8 regiões do Estado, começando na próximo dia 2 de fevereiro, em Costa Rica, e terminando no dia 7 de abril em Campo Grande.

"Nós pretendemos ouviu a população para criar um programa chamado MS Maior e Melhor", frisou Puccinelli. Segundo ele, " o que está bom, tá bom, mas pode ser melhorado".

A intenção do partido é discutir, com lideranças políticas e representantes da sociedade, temas como saúde, educação, segurança, promoção social, habitação, infraestrutura e desenvolvimento econômico, para elaboração de seu plano de governo.

André afirmou que na chapa encabeçada por ele, a vaga de vice-governador, bem como a 2ª na disputa pela Senado, serão usadas na busca por alianças com partidos aliados. Ele evitou dar nomes de possíveis vices.

Participaram do encontro, além de André e Moka, participam da reunião, a senadora Simone Tebet, o vereador Wilson Sami e os deputados estaduais Renato Câmara, Marcio Fernandes e Antonieta Amorim.

O ministro Carlos Marun não pode participar da reunião por motivos profissionais, e os deputados estaduais Paulo Siufi e Eduardo Rocha estavam em viagem.

Envie seu Comentário