Ponta Porã, Segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
26/06/2017 05h40

Torço para que Michel Temer continue por Waldir Guerra

O autor é membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal.

Divulgação (TP)
 
 

Ainda continuo torcendo para que Michel Temer se mantenha no cargo de presidente; e sabe por que? Porque não temos outro para continuar no seu lugar.Torço somente por causa disso.

O tempo é curto, sei. Um ano e meio exatamente – a partir desta semana – éo que falta para que acabe este seu governo. Tempo curto diria você caro leitor, mas não para quem já passou dos oitenta, no meu caso. E por conta disso, tenho pressa; muita pressa.

Dizem que foi na comemoração dos oitenta anos de Platão que lhe perguntaram quantos anos ele tinha. Respondeu que dez ou doze, não saberia dizer porque dos oitenta já vividos uns poucos mais, talvez 10 ou 12 tinha para esperar de sua vida.Assim estou me sentindo hoje, como Platão. Por isso, ninguém tem mais pressa que eu para que este momento ruim acabe e o Brasil volte a trilhar o caminho do desenvolvimento. Por isso sou contra o "Fora Temer". E veja bem, não votei nele, mas quando a presidente Dilma Rousseff caiu e Michel Temer assumiu substituindo-a no comando de um novo governo gostei de ver a vontade do presidente em consertar as contas e suas propostas de reformas para endireitar os estragos feitos na economia do país pela incompetência do governo de Dilma.

Agora, a cada dia que passa as acusações ficam mais graves contra Michel Temer e todos os que o cercam. Nesta guerra entre a Justiça e todos os demais políticos que usaram recursos públicos surripiados para se elegerem – ou para se beneficiarem pessoalmente – penso que todos devem ser julgados; e se culpados, que paguem! Inclusive o próprio presidente.

A todos os que me perguntaram nesses últimos dias o que teria para dizer desta nossa grave situação política respondi que nada sei, mas também digo que ninguém sabe o que pode acontecer. Lembro agora que foi na festa de casamento do caro amigo Gandy Jamil, no ano que antecedeu a eleição de Fernando Collor, onde encontrei o todo poderoso BONI (José Bonifácio de Oliveira Sobrinho) da Rede Globo.

Já estávamos na reta final para as eleições presidenciais e ninguém sabia dizer quem poderia vencer as eleições. Boni também disse que não via nenhum dos políticos conhecidos com possibilidades de se eleger, mas saberia dizer quem seria o ganhador: seria um candidato jovem; prometendo acabar com a corrupção e mostrando muito entusiasmo.

Na eleição deu Fernando Collor que como todos lembram entrou na campanha de mangas arregaçadas e gritando aos quatro ventos que vinha para "caçar marajás". Deu no que deu, nem caçou marajá algum e acabou sendo cassado – literalmente caçado, ele mesmo – epor corrupção.

E já que nada sei dizer do que pode acontecer neste interregno que vai daqui até as eleições de 2018, então digo que ajudemos a conscientizar os eleitores para que não seja eleito outro "caçador de marajás", ou mesmo mais um, ou uma, que venha repetindo mil vezes as mesmas mentiras, se eleja e seja necessário cassá-lo também.

Assim, torço para que Michel Temer se mantenha no cargo de presidente e que juntamente com o Congresso Nacional faça as reformas necessárias porque não existe no momento outro com capacidade para substitui-lo.

  • Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal. (wguerra@terra.com.br)

Envie seu Comentário