Ponta Porã, Quarta-feira, 17 de janeiro de 2018
22/11/2017 16h30

Coperfron completa 01 ano em Ponta Porã

A Coperfron trabalha com transporte de passageiros de turismo, viagem municipal e interestadual e transporte escolar e é ligada a OCB- Ordem das cooperativas do Brasil

Por: Dora Nunes
 
 
Geisiane Assunção da Silva, relações públicas da Coperfron

Foto: Tião Prado - Pontaporainforma Geisiane Assunção da Silva, relações públicas da Coperfron

Foto: Tião Prado - Pontaporainforma

Geisiane Assunção da Silva, relações públicas da Cooperativa Fronteira de Transportes de Passageiros (Coperfron), de Ponta Porã, em entrevista ao jornalista Tião Prado na rádio 91.5 FM Cerro Corá, lembrou que o cooperativismo no Brasil teve início em 1847 no estado do Rio Grande do Sul, existindo vários ramos de cooperativismo e o transporte é um deles.

A Coperfron trabalha com transporte de passageiros de turismo, viagem municipal e interestadual e transporte escolar e é ligada a OCB- Ordem das cooperativas do Brasil, ofertando assessoria jurídica e cursos para os cooperados. O surgimento da cooperativa veio do fato de existir na cidade várias empresas atuantes nesse ramo que tinham a intenção de diminuir custos e aumentar benefícios para os usuários, fortalecendo a classe de motoristas e proprietários de vans e ônibus.

Geisiane lembrou que existem os órgãos fiscalizadores, como a Guarda-Municipal, o Detran que efetua fiscalização semestral englobando o transporte escolar, Agepan e ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A Coperfron está cadastrada legalmente, juridicamente em todos os órgãos para poder prestar um serviço de segurança, trazendo maior segurança aos usuários.

"Um alerta aos pais e universitários que fazem o uso desses transportes, bem como as escolas que programam viagens, é que fiquem atentos e procurem saber se o transporte está cadastrado na Agepan, ao ANTT, a Cooperativa, e é fácil, basta que na hora que fizer o orçamento peça o cadastro, já que esses cadastros ficam dentro do veículo, sendo certificados de uso obrigatório ou ainda a empresa pode passar o CNPJ e o usuário entrando no site da Agepan ou ANTT poderá fazer essa averiguação", ressaltou Geisiane Assunção da Silva, lembrando que é uma questão de segurança.

Outro ponto levantado na entrevista foi que devido à crise que hoje assola o País, muitos pais optam pelo vizinho ou pelo colega para levar seu filho para a escola e a dúvida é se o carro é cadastrado, se tem seguro, se o motorista tem curso de transporte escolar para levar o estudante, visto que é permitido que uma pessoa vá ao Detran e faça o cadastro de transporte escolar, mesmo se for para o transporte de 05 pessoas.

A questão do transporte de crianças é bem complexa e deve-se primar pela segurança. Geisiane ressaltou a importância dos pais verificarem com a criança se ela tem um banco só para ela, se usa cinto de segurança, pois muitas vezes, o valor cobrado é abaixo o tarifado, mas a criança vai em pé, em um transporte totalmente fora dos padrões e muitas vezes para compensar o valor cobrado abaixo do mercado, o motorista supera a capacidade do veículo e aumenta a velocidade para entregar cada um em seu destino.

Na cooperativa existe um estatuto que deve ser obedecido e caso o cooperado não cumpre o estabelecido é chamado a atenção e corre o risco de ficar fora da cooperativa.

Júlio César Irala é o presidente da Coperfron, com o apoio do conselho Administrativo nas pessoas de Ernesto Nogueira e Helio Cesar Matos.

A Coperfron completa um ano de existência nesse ano de 2017.

Envie seu Comentário