Ponta Porã, Sábado, 20 de janeiro de 2018
18/12/2017 14h

Dezembro Vermelho alerta para prevenção e redução de riscos para contaminação pelo HIV/AIDS no Hospital Regional de Ponta Porã

De acordo com o infectologista, a doença está muito ligada a questão cultural das pessoas

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Foi realizado no Hospital Dr. José de Simone Netto (Hospital Regional de Ponta Porã) palestra alusiva ao Dezembro Vermelho, campanha nacional instituída este ano pelo Governo Federal com o objetivo de promover a conscientização nacional sobre prevenção ao vírus HIV e a AIDS.

O médico infectologista Pablo Marinho Custódio ministrou a palestra sobre prevenção e redução de riscos para contaminação pelo HIV/AIDS, e também foram oferecidos testes rápidos de HIV, uma parceria do Hospital com a Secretaria Municipal de Saúde de Ponta Porã, através do Serviço Ambulatorial Especializado (SAE).

De acordo com o infectologista, a doença está muito ligada a questão cultural das pessoas. "Nós como médicos, não podemos julgar o comportamento dos pacientes, nossa missão é dar subsídios, respeitá-los e ajudá-los a lidar com a realidade da doença. Hoje temos tratamentos mais avançados, como, por exemplo, a profilaxia pós-exposição, usada após casos de violência ou exposição sexual de risco, mas é preciso ressaltar sempre que o uso da camisinha continua sendo a melhor forma de se evitar a doença", disse.

O consultor de vendas, Fábio Luiz Pilger afirma que ficou sabendo da palestra porque recebeu convite virtual da campanha Dezembro Vermelho em um grupo de mensagens. "Recebo muita coisa no grupo do whatsapp e dessa vez, achei bacana a foto que divulgava a palestra e o tema era interessante. É mais uma oportunidade para aprender coisas que eu não sabia, como por exemplo, que existem tantas intervenções medicamentosas e métodos para se prevenir a AIDS, geralmente conhecemos mais o preservativo. Valeu a pena participar e a iniciativa extremamente necessária para colaborar com o acesso a informação para todos".

HIV/AIDS no Brasil e MS

De acordo com o Ministério da Saúde, existem no Brasil 827 mil pessoas com o vírus HIV, sendo que 372 mil estão em tratamento e aproximadamente 112 mil vivem com o HIV, mas ainda não sabem. A maior concentração de infectados está na faixa etária de 20 a 24 anos, com média de 33,1 casos para cada 100 mil habitantes. Já na faixa etária entre 15 e 19 anos, a média é de 6,9 casos para cada 100 mil habitantes.

E em Mato Grosso do Sul, segundo a Secretaria de Estado de Saúde, o número de novos casos de HIV/AIDS cresceu 45,3% nos primeiros 11 meses de 2017, em comparação com todo ano de 2016. A quantidade de casos saltou de 1.027 para 1.493, de acordo com dados do SINAN (Sistema de Informações de Agravos de Notificação).

Envie seu Comentário