Ponta Porã, Terça-feira, 16 de janeiro de 2018
20/11/2017 06h50

Rede elétrica rompe e mata animais em fazenda de Amambai

Sete animais de uma mesma propriedade morreram. Produtor estima prejuízo de mais de R$ 17 mil. Problemas com redes rurais têm sido constantes.

Agazetanews
 
 
Os animais teriam sido atingidos por cabos da rede elétrica que se rompeu. Prejuízo ultrapassou R$ 17 mil, segundo relatou o produtor rural á polícia. (Foto: Divulgação) Os animais teriam sido atingidos por cabos da rede elétrica que se rompeu. Prejuízo ultrapassou R$ 17 mil, segundo relatou o produtor rural á polícia. (Foto: Divulgação)

O cabo de uma rede elétrica pertencente à Energisa, a concessionária que tem o monopólio do fornecimento de energia elétrica para o Cone Sul de Mato Grosso do Sul, se rompeu, vindo a matar sete animais em uma propriedade rural do município, em Amambai.

O fato aconteceu na tarde da quinta-feira, 16 de novembro, na Fazenda Flecha, situada às margens da Rodovia MS-289, trecho que liga Amambai a Jutí, distante cerca de 12 quilômetros da cidade.

Segundo relatou o produtor rural à polícia no ato do registro do boletim de ocorrência, os animais mortos foram vacas prenhas pesando em média 16 arrobas, avaliadas em cerca de R$ 2,5 mil cada, o que ocasionou um prejuízo estimado de R$ 17,5 mil.

Problemas frequentes

Problemas envolvendo a estrutura da Energisa na zona rural, não só em Amambai, mas também na região, estão sendo registrados com frequência cada vez maior.

No mês passado (outubro) um funcionário da empresa de 29 anos, morreu eletrocutado quando fazia manutenção em uma rede elétrica rural as margens da mesma MS-289 entre Amambai e Jutí.

Em setembro a suposta falta de manutenção de uma rede elétrica da empresa acabou provocando um incêndio florestal, que destruiu vegetação em área de proteção ambiental e uma ponte situada sobre o Córrego Destino, deixando 25 famílias do Assentamento Vicente de Paula parcialmente isolados, no município de Paranhos.

Segundo os produtores rurais a Energisa foi avisada que a fiação da rede de alta-tensão estava frouxa, mas a manutenção não foi realizada, com isso o vento acabou fazendo com que os cabos se tocassem, gerando faísca e consequentemente o incêndio na vegetação seca, além de interromper o fornecimento de energia para a área rural naquela região do município da fronteira.

A Prefeitura de Paranhos informou que, por meio de sua procuradoria jurídica, acionou a Energisa cobrando da empresa a reconstrução da ponte, avaliada em mais de R$ 50 mil, mas até o momento não obteve a resposta por parte da concessionária.

 
 (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)

Voltando a Amambai

Em Amambai produtores rurais tem realizado diversas queixas sobre a falta de atenção por parte da Energisa em relação a reparos nas redes rurais do município.

Segundo os produtores, em determinadas localidades propriedades chegam há ficar cinco dias sem energia, ocasionando perda de alimentos, medicamentos de animais que precisam ser mantidos em determinada temperatura e inclusive deixando até os funcionários e animais sem água, já que as bombas dos poços são elétricas.

Além da demora no atendimento, os produtores reclamam da falta de um canal de comunicação com funcionários responsáveis pelo atendimento às demandas do município, já que o único canal de contato que a Energisa disponibiliza é por meio eletrônico, sistema que não oferece esclarecimentos e resposta às demandas.

Por conta dessa deficiência operacional da Energisa, tanto para a zona rural, como para o perímetro urbano, a Câmara Municipal de Amambai convocou uma audiência pública para debater a situação.

A audiência está marcada para as 19h do dia 28 deste mês, uma terça-feira, na própria Câmara Municipal.

Envie seu Comentário