Ponta Porã, Quinta-feira, 19 de abril de 2018
03/10/2017 15h

Autoexame ou mamografia? Saiba quando utilizar os meios de detecção do câncer de mama

O autoexame também é importante

Midiamax
 
 

Apesar do autoexame ser um importante aliado no diagnóstico precoce do câncer de mama, apenas a mamografia e a ultrassonografia das mamas podem detectar calcificações minúsculas que podem ser nódulos malignos. Quando detectados neste estágio, a chance de sobrevivência de mulheres diagnosticadas com câncer de mama é de 95%.

A informação é da radiologista mamária da unidade do Hospital de Barretos de Campo Grande. Segundo ela, pelo autoexame as microcalcificações normalmente não são detectadas.

Quando os nódulos de câncer de mama são percebidos através do toque ainda existem grandes chances de cura, mas a paciente precisa passar por cirurgia na mama (algumas vezes retirada total) e axila, esvaziar gânglios e passar por ciclos de quimioterapia.

Quando o câncer é detectado nas fases iniciais, uma pequena cirurgia é realizada para retirar apenas uma pequena porção do tecido mamário. Neste caso é necessário passar somente pela radioterapia, que é um tratamento menos agressivo que a quimioterapia, explica Ruth.

A radiologista enfatiza que todas as mulheres entre 40 anos e 69 anos devem fazer a mamografia anualmente, mesmo que não estejam sentindo nada. Mulheres com menos de 40 anos também são aconselhadas a procurarem atendimento na rede pública e privada. Nestas, normalmente é indicada a realização de ultrassonografia mamária. Autoexame

Entretanto o autoexame pode salvar vidas e deve ser realizado mensalmente. Conforme indicado pelo IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer), com o autoexame será possível perceber alterações nas mamas. Ao detectar qualquer sinal, a mulher deve procurar procurar um médico.

O instituto indica que o autoexame seja realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação. As mulheres que não menstruam devem determinar um dia específico para repetir o autoexame todo o mês. O alerta é que o autoexame não é um método diagnóstico e não substitui a visita ao mastologista.

A observação de alterações cutâneas ou no bico do seio, de nódulos ou espessamentos, e de secreções mamárias, não significa necessariamente a existência de câncer.

O IBCC faz a ressalva de que 80% dos nódulos mamários são benignos e apenas uma pequena porcentagem de secreções está relacionada ao câncer.

Envie seu Comentário