26/10/2017 12h10

Artigo: Esquerda ou direita? - por Alci Massaranduba

Artigo: Esquerda ou direita? - por Alci Massaranduba

Divulgação: Dora Nunes
 
 

O nosso país é como os antigos circos de horrores no qual seres humanos com certas deficiências eram expostos para a diversão popular sem o menor constrangimento. Os tempos mudaram e, atualmente já não somos mais meros observadores, indiferentes ao sofrimento alheio, pelo menos não deveríamos, mas...

No Brasil tudo é possível e isso não é um elogio. As noticias se espalha numa velocidade assustadora, infelizmente, a maioria delas não tem nenhuma relevância, ao contrário, muita atenção é despendida a fatos absolutamente banais. Os grandes temas de interesse nacional ficam sempre em terceiro plano. Viva as fofocas das celebridades! A foto de um artista tirada no exato momento em que ele está tomando um cafezinho na padaria- como poderíamos continuar com a nossa existência sem contemplar tal imagem? Um jogador famoso de futebol está ostentando com gastos exorbitantes com bebidas alcoólicas. Nossa! A lista de bobagens é interminável.

Uma pequena nota no jornal avisa que um hospital público irá fechar as portas por falta de estrutura prejudicando milhares de pessoas. A mobilização é pífia para evitar tal desastre social. A corrupção toma a cada dia ares de divindade, pois está em todos os lugares ao mesmo tempo e muitos chegam a pensar que não vale à pena lutar porque "sempre foi assim", o jeito é assistir mais um capítulo da novela das vinte e uma horas e torcer para que alguém faça algo.

Talvez a atitude de um bom cidadão com consciência política seja criticar tudo o governo planeja, mas grande parte dos adeptos de certa ideologia partidária está imersa na busca por interesses meramente pessoais: conseguir ser indicado para um cargo ou simplesmente conseguir o poder para que os "amigos" possam receber todos os benefícios de uma boa parceria. A coletividade é uma expressão desconhecida para muita gente que só sabe conjugar o verbo ganhar na primeira pessoa do singular.

Diante da calamidade política, econômica e social pela qual o país atravessa não podemos mais agir como mero telespectador de algum programa de auditório da TV- fortes emoções até que o programa acabe, depois, a mais completa indiferença.

É difícil levar uma nação a sério quando ela é motivo de chacota para o resto do mundo e não é isso que justamente está acontecendo com a pátria amada Brasil? Até quando ficaremos em silêncio? Chegou o momento de dar um basta e fazer cumprir o que diz a Carta Magna: todo o poder emana do povo que o exerce por meio dos seus representantes. Achamos a palavra que merece todo o destaque- representantes!

Será que os nossos atuais representantes realmente nos representam? Se a resposta for negativa já não passou da hora de tirá-los do poder definitivamente?

Algo merece uma séria reflexão: muitos críticos ferrenhos do atual governo ou mesmo do anterior só não fazem a mesma coisa ou pior porque não tem as circunstâncias a seu favor, pois se as tivessem fariam coisas ainda mais questionáveis. Os problemas atuais são gigantescos é só começarão de fato a serem solucionados ou pelo menos amenizados quando houver uma consciência coletiva e um forte engajamento da população em questões que vão muito além do trivial. Estamos cansados de disputas partidárias entre "esquerda" e a "direita" ou qualquer outra nomenclatura nesse sentido. O que queremos é estar no centro e não jogados para escanteio como querem os nossos "amados" representantes.

Alci Massaranduba

Bacharel em Administração de Empresas, Especialista em Gestão de Negócios, Acadêmico do curso de Matemática, autor dos livros: Minha Vida de Carteiro e Pensamentos de um Carteiro

Envie seu Comentário