Votos contados

'Dizem que o homem é um mito ou um fenômeno e eu estou achando que é mesmo', escreve JN

Escreve o colunista João Natacio de Oliveira em sua coluna

26/09/2018 07h - Jornal de Noticias

 

INFORME JN

VOTO CONTADO

  • Estamos praticamente há 11 dias das eleições e em todos os Estados o bicho está pegando. Aqui em Mato Grosso do Sul o "bicho já pegou". Tem muita gente importante da política, empresariado e influentes personalidades presas ou se escondendo da justiça para escapar da facada judicial.

  • Pior que isso. Tem alguns candidatos bitola larga concorrendo ao Governo, Senado, Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados correndo o risco de serem eleitos e sendo impedidos de tomar posse por causa da gloriosa Ficha Limpa que sujou de uma hora para a outra. Outro problema: o bendito segundo turno.

  • Esse período eleitoral é praticamente uma outra eleição muito mais difícil e bastante concorrida. Segundo os últimos levantamentos dos institutos de pesquisas, aqui em Mato Grosso do Sul a disputa poderá ir para o segundo turno. Se acontecer isso, aí o projeto da reeleição do governador Reinaldo Azambuja pode se complicar ainda mais.

  • Por enquanto, apesar dos problemas da faca na goela provocados pelas delações da JBS que levaram a Polícia Federal realizar muitas prisões envolvendo gente da sala e cozinha do governador, tudo indica que o Reinaldo Azambuja poderá ganhar a eleição no primeiro turno.

  • Porém, se o pleito caminhar para decisão só no dia 28 de outubro, aí toda a esquerda vai se unir contra o candidato tucano, mesmo o seu provável concorrente, o Juiz aposentado Odilon de Oliveira, haver levado uma punhalada pelas costas de um primo ingrato.

VOTOS COBIÇADOS

  • Por outro lado, em Mato Grosso do Sul há 100 mil eleitores que não são obrigados a votar, mas podem votar na eleição de 7 de outubro. São os jovens entre 16 e 17 anos que estão estreando o título de eleitor dando o primeiro voto e os idosos com mais de 70 anos. Os candidatos estão sem tempo para correr atrás desses eleitores que estão dando o primeiro voto e aqueles que podem estar dando o último.

  • Esta semana o mau tempo prejudicou a campanha eleitoral de muitos candidatos ao Governo do Estado, Senado e outros cargos. Pelo menos segunda-feira o prejuízo foi grande. O tempo está curto até 7 de outubro e quem não correr agora pode chegar a reboque no dia da eleição.

GUINÉ EQUATORIAL

  • Falar nisso, não está bem explicada essa história da dinheirama apreendida no Aeroporto de Campinas procedente da longínqua Guiné Equatorial. Para a apreensão dos milhões de dólares ainda pode haver uma explicação apesar das várias versões que estão circulando no País, a questão maior é o aparecimento daquela quantidade de relógios de ouro cravejados de pedras preciosas. Nessa história tem rolo. Rolo de brilhante com pedrinhas de diamante. Do jeito que aquele dito-cujo gosta...

BOLSONARO

  • Dizem que o homem é um mito ou um fenômeno e eu estou achando que é mesmo. Pelas manifestações espontâneas que estão acontecendo em todo o Brasil com carreatas, buzinaços, panelaços e outros movimentos enquanto Bolsonaro se recupera num leito do hospital Albert Einsten em São Paulo do atentado sofrido em Minas Gerais. Atentado que até o momento ainda não foi convenientemente explicado pelos organismos policiais e judiciários do país.

  • Resumindo: está todo mundo (ou quase todo mundo) orando e rezando para que ele deixe o hospital logo e vença a eleição já no primeiro turno. O entendimento geral é que se o pleito eleitoral ficar para decisão no segundo turno, as coisas podem se complicar, em razão da união dos partidos de esquerda contra ele. Seria um bom momento para se avaliar o tamanho da força da esquerda brasileira.

CHAMANDO

  • "Precisando do Meirelles é só chamar". O MDB chamou e ele veio a Ponta Porã segunda-feira, dia 17, o número de Jair Bolsonaro. Só que na reunião no auditório da Associação Comercial parece que os ouvintes gostaram mais da conversa do deputado Júnior Mocchi, candidato a governador de Mato Grosso do Sul. Observei que o Brumoí, presidente municipal do MDB, e o Chiquito estavam felizes com o sucesso do evento.

  • Não sei se ele caiu do "Expresso 15", mas parece que o senador Moka não veio. Em seu lugar estava a senadora Simone Tebet que deu muito bem o seu recado.

J. N. Oliveira

jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário