"Queiram ou não as eleições deste ano não estão empolgando ninguém", por JN

João Natalício

06/09/2018 16h - DN

 

INFORME JN

SEM EMPOLGAÇÃO

  • Queiram ou não as eleições deste ano não estão empolgando ninguém. Em todo o Brasil o eleitorado está com um pé atrás e a grande maioria ainda não sabe em quem votar. Pior que isso: muitos candidatos de quase todos os partidos também não estão empolgados com a movimentação do pleito eleitoral deste ano.

  • Isso é muito ruim, uma vez que na democracia a arma do povo é o voto. Com o nosso voto bem dado é que a gente pode mudar tudo de ruim que vem acontecendo neste país, a começar pelos municípios, onde as mutretagens surgem de mansinho para ganhar força a nível estadual para chegar a Brasília com curso de pós-graduação e experiência de doutor formado no Paraguai.

  • Hoje em dia, pelas informações que temos através da imprensa e das redes sociais não está difícil escolher o melhor candidato, entre tantos piores. Apesar da enxurrada de "fake news" que tomam conta das redes sociais trazendo notícias falsas e mentirosas, eu já escolhi os meus candidatos: deputado estadual, deputado federal, dois senadores, governador e presidente da República. Por incrível que pareça escolhi um de cada partido. Só para deputado estadual e senadores que vou repetir a dose.

CAMPANHA * A campanha eleitoral começa a ganhar força agora, apesar de ainda ter muita coisa enrolada para resolver. Como é muito natural a grande imprensa do País está focando mais nos presidenciáveis, principalmente nos mais destacados e que tem algo mais a dizer como Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin, Ciro Gomes, Marina Silva e Luiz Inácio Lula da Silva que mesmo preso ainda continua sendo a bola da vez e disputando as graças do Supremo Tribunal Federal e de outras cortes respeitáveis da nação brasileira.

  • Os demais candidatos a presidente da República só entram na mídia nacional quando falam alguma bobagem ou conseguem alguma boca na fila de espera. Pior são os candidatos ao Governo que somente são lembrados pela grande imprensa, e até pelas redes sociais que eles tanto adoram, quando estão ameaçados por algum processo, possibilidade de prisão ou por estar esperando na fila para experimentar uma gloriosa tornozeleira eletrônica.

  • Eleição no Brasil, hoje, se faz dessa maneira. Enquanto em outros países do primeiro mundo o evento eleitoral é uma verdadeira festa do povo, uma demonstração da prática da necessária democracia, por aqui os partidos e os próprios candidatos passam por um verdadeiro pesadelo com tantas proibições, obrigatoriedades impostas por leis muito difíceis de serem cumpridas.

NADA PODE * Pelas normas atuais, agora praticamente nada pode onde são escolhidos os nossos dirigentes. Tudo aquilo que anteriormente era uma festa para o povo de todas as categorias, agora se transformou num festival de proibições. Interessante que a legislação eleitoral faz tantas exigências para os políticos se elegerem, mas depois de eleitos a maioria deles fazem o que querem para meter a mão no dinheiro público e quase nada acontece.

  • Até parece que todas essas proibições absurdas da campanha eleitoral o alvo são os eleitores e não os candidatos. Por tudo isso é que mais de 30% do eleitorado brasileiro, conforme as últimas pesquisas de opinião pública, está certo em querer o ex-presidente Lula fora da prisão e disputando a eleição.
  • CARAVANA ELEITORAL

  • Logo que assumiu o governo em 2015, o tucano Reinaldo Azambuja esteve em Ponta Porã com a sua "Caravana da Saúde" e foi um sucesso total. Depois de tantas vezes, no último sábado, 25 de agosto, o governador retornou a Ponta Porã na sua campanha eleitoral pela reeleição. Novamente tinha muita gente na passeata e na reunião no salão paroquial da Avenida Brasil. Gente dos 14 partidos que o apoiam e mais uns dois ou três bicões. Na verdade, lá havia mais pessoas do MDB e PTB do que do próprio PSDB.

  • Respeito a campanha que o candidato Odilon de Oliveira (PDT) vem realizando em Mato Grosso do Sul, um estado que eu conheço muito bem. Eleitoralmente eu acho que a vaca já foi para o brejo. Dificilmente o tucano de Maracaju vai perder essa. A máquina administrativa e a força do poder ainda falam mais alto.

J. N. Oliveira jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário