Cade Você?

Destaques da politica do estado e da cidade na coluna JN

Entramos na última semana antes da convenções partidárias

31/07/2018 07h20 - Jornal de Noticias

 

INFORME JN

TEMPO QUENTE

  • Apesar daquele friozinho incômodo do inverno, o tempo está começando a esquentar na política. Isso porque estamos nas duas últimas semanas das convenções partidárias com vistas as eleições de 7 de outubro. Até a última hora os partidos ainda estão correndo atrás de alianças e apoios para os seus candidatos.

  • Aqui em Mato Grosso do Sul, no entanto, surgiu um fato novo com a inesperada prisão do pré-candidato ao Governo do Estado pelo MDB, o ex-governador André Puccinelli. O emedebista lidera as pesquisas de opinião pública em várias regiões do Estado. Até o meio da semana o futuro político de Puccinelli ainda era dúvida, apesar da ação eficiente dos seus advogados.

REQUENTADA

  • Em todo o Estado, os políticos do MDB estão divulgando que nada vai acontecer com André Puccinelli em virtude que a sua prisão é fruto de um processo "requentado" do passado e já esclarecido e levantado só com o objetivo de prejudicá-lo politicamente. Aqui em Ponta Porã, por exemplo, o vereador Daniel Marques que deverá disputar uma vaga de deputado federal na chapa de André se diz tranquilo com relação a libertação do seu grande líder.

  • Existe um detalhe importante nisso tudo: o MDB deverá correr para libertar Puccinelli do xilindró, em virtude de que no dia 5 de agosto se encerra o prazo para a realização de convenções e os candidatos terão até o dia 15 do mesmo mês para fazer os registros de candidatura no TRE – Tribunal Regional Eleitoral.

  • Uma coisa é certa: o glorioso André Puccinelli somente dispõe de poucos dias para se livrar da prisão. Caso contrário ele só será solto tranquilamente no dia 10 de outubro, segundo a previsão de alguns jornalistas e políticos da Capital. Particularmente eu acho que eles estão errados nessa adivinhação petista e tucana.

NOVA FERVURA

  • Falar em processo requentado e noticiário com "nova fervura", esta semana o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) também foi vítima dessa safadeza democrática quando alguns sites da Capital anunciaram a provável prisão do governador por motivo do seu envolvimento com as trapaças da empresa JBS. Não é verdade. Esse fato ocorreu no ano passado e o governador tucano já se livrou dessas denúncias.

  • Agora só resta saber quem estaria por trás dessas denúncias e prisões de políticos em evidência no Estado. Todo mundo desconfia de quem possa ser, mas não abre o bico com medo de ser preso. O melhor é a gente aguardar os acontecimentos para conferir quem sobra.

CADÊ VOCÊ

  • Falar em sobra, convém perguntar para o candidato a deputado estadual Álvaro Soares se ainda está fazendo campanha eleitoral. Faz algum tempo que não ouço falar no dito-cujo.

  • Domingo passado eu estava uma roda de amigos e o assunto era política, um dos presentes perguntou sobre a candidatura do vereador Otaviano Cardoso (PSDB) a deputado estadual. "É verdade que ele vai desistir para apoiar o vice-prefeito Caio Augusto?" Todos riram e um deles completou: "É mais fácil o Caio Augusto desistir para apoiar o Otaviano que o grupo julga que já está eleito". Pode ser. Em política tudo é possível.

HOMENAGEM

  • Muita gente me perguntando porque eu não fui receber a homenagem da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã na noite de 17 de julho, terça-feira, na grande festa de homenagens realizada no União Tênis Clube. Por uma questão de elegância devo esclarecer que a falha deve ter sido do cerimonialista, uma vez que eu avisei a direção da ACEPP, com um dia de antecedência, que nós não iríamos estar presentes ao evento em razão de doença na família, problema que persiste até hoje. Destaque: não mandei representante porque diz o protocolo que em homenagem não seu manda representante por ser um ato pessoal. De qualquer forma agradeço os dirigentes da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã pela lembrança que muito me honrou.

J. N. Oliveira

jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br