Leia a Coluna JN dessa semana (02/02)

Política e muito mais

02/02/2019 19h30 - DN

 

CANDIDATOS

  • Ano pré-eleitoral é isso mesmo: candidatos sobram com ou sem condições. A expectativa agora é grande a respeito dos nomes que podem aparecer para enfrentar Hélio Peluffo (PSDB) nas urnas no ano que vem. Enquanto isso, o tucano está levando muito a sério o seu projeto da reeleição a começar pelas manobras que ele já está agilizando na Câmara de Vereadores onde tudo começa no município.

SERÁ PRÁ VALER?

  • Esta semana um dito-cujo bem informado esteve aqui no Jornal de Notícias para dar um bizu que pode ter sentido. Segundo ele, o ex-deputado José Carlos Monteiro, muito bem situado financeiramente e ainda mantendo o sonho de ser prefeito de Ponta Porã, está preparando a mochila para ser candidato em 2020, provavelmente com alguém do partido de Jair Bolsonaro de vice.

  • Recebi a informação com reservas, mas não duvidei. Conheço muito bem o sistema do Zé Monteiro e sei do seu desejo de ser prefeito da cidade que o viu nascer e sei também que ele dispõe de condições plenas para encarar uma campanha eleitoral por mais dispendiosa que ela possa ser, mas há muitos fatos a considerar.

  • Por exemplo: o glorioso Bilo já se manifestou a respeito? A palavra final sempre foi dele. Dia desses eu me encontrei com o Bola (como os seus irmãos o chamam) num restaurante da cidade e o Monteirinho admitiu essa possibilidade de uma candidatura a manda-chuva da cidade. Mas este jornalista, porém, por precaução, vai aguardar um encontro com o meu amigo Bilo Silvero Neto só para depois me manifestar com segurança.

PARA TRANQUILIZAR

  • A respeito da derrubada de árvores que está sendo feita nos terrenos do Hotel Pousada do Bosque, quanto eu sabia, está dentro dos conformes em virtude de que tudo estaria sendo feito com a autorização da Secretaria do Meio Ambiente. Outra coisa: essa informação que corre por aí de que aquela área pertenceria ao ex-prefeito Ludimar Novais é tudo fake News. Toda aquela área continua propriedade do herdeiro (ou herdeiros) da família do saudoso Eraldo Moreira.

  • Seria interessante que as pessoas que estão preocupadas com o desmatamento ao redor do Hotel Pousada do Bosque aguardassem o resultado desse projeto para o bem da cidade para depois dar sua opinião a respeito e poder avaliar com propriedade o que de bom virá por aí. Acho que vai valer a pena esperar.

NOVO VEREADOR

  • Acho que foi tudo bem acertado essa substituição dos vereadores tucanos Otaviano Cardoso, para tratamento de saúde, pelo radialista Aleixo Alves, um profissional competente e fiel aos seus princípios do partido a que pertence, o PSDB do presidente do Legislativo, Candinho Gabínio. Seria bom o Otaviano Cardoso ficar bom logo, pois o sábio Aleixo Alves pode gostar além do que deve da vereança.

  • Falar nisso, este vai ser o ano do Legislativo desde lá do Senado, passando pela Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa e Câmara de Vereadores. Em Brasília, as bancadas federais deverão mostrar o seu comportamento perante a nação neste primeiro ano de mandato do Governo de Jair Bolsonaro que estaria pondo muita fé no Legislativo. Na Assembleia Legislativa, os deputados estaduais, em sua grande maioria, estão fechados com o governador reeleito Reinaldo Azambuja.

  • E aqui em Ponta Porã, a Câmara de Vereadores comandada pelo tucano Candinho Gabínio, está mais do que tranquila com relação ao comportamento dos parlamentares municipais nessa tarefa de apoiar o projeto da reeleição do prefeito Hélio Peluffo que está pensando em tudo. Pelo visto, o vereador Farid Afif, se também não mudar de rota, vai ter que mostrar serviço. Por enquanto, o MDB está apostando nele. A conferir.

TUDO PELO PODER

  • A senadora Soraya Tronicke, eleita pelo PSL, depois de derrubar concorrentes como Zeca do PT, Waldemir Moka e Marcelo Miglioli, afilhado político do governador reeleito Reinaldo Azambuja, gostou do poder e agora quer passar por cima de todo mundo, inclusive de fiéis e renomados companheiros de partido. Calma companheira, política não é assim que se pratica, pois um dia o cachimbo cai. Devagar com o andor que o santo é de barro já dizia o padre de Caarapó.

J. N. Oliveira

jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário