Ponta Porã

O Jornalista João Natalicio comenta a visita de Alckmin a fronteira

As eleições de ,outubro também esta na coluna do jornalista

18/09/2018 07 h - Jornal de Noticias

 

INFORME JN

O CARA

  • As eleições estão se aproximando e os candidatos, de mamando a caducando, ficando cada vez mais inquietos, menos aquele prisioneiro famoso que está morrendo de rir do atropelo que ele está dando em quase todas s cortes do judiciário (TFJ, TSE e Supremo) partidos políticos e na grande imprensa do País, sobrando até para um comitê pelego da ONU (?).

  • Queiram ou não o cara desta eleição tanto nos Estados como para a Presidência da República é um dito-cujo chamado Jair Bolsonaro. Já tem gente saindo no tapa com os amigos por causa do homem. E já estão falando que esse candidato presidencial é um mito, um fenômeno e coisas desse gênero como, por exemplo, a força do Itaquerão ou a imagem do Timão. PSL é o nome do partido dele que significa Pronto Socorro Liberado.

  • Conforme as pesquisas eleitorais, aqui em Mato Grosso do Sul, por exemplo, o candidato do meu amigo Aureovaldo do Amaral lidera de cabo a rabo a disputa presidencial. Ainda não sei se sou eu que ando na contramão do pleito eleitoral ou só converso com as pessoas erradas porque de cada dez pessoas pelo menos sete dizem que vão votar nesse tal de Jair Bolsonaro. E por que tudo isso? Porque é o único candidato presidencial que fala diferente dos demais.

GOVERNADOR

  • Para o Governo do Estado, se eu tenho alguma experiência em pleito eleitoral, o governador Reinaldo Azambuja será reeleito com os pés nas costas. Ele montou um esquema tão perfeito que a reeleição caiu o colo dele com a mesma facilidade de comer mamão com açúcar. Nem o glorioso Juiz Federal aposentado Odilon de Oliveira esperava por essa bordoada recebida no meio do caminho.

  • Aqui em Ponta Porã, os seis ou sete candidatos à Assembleia Legislativa estão peleando muito só com o toco da espada para tentar conseguir pelo menos uma vaga no Parlamento Estadual. Por enquanto, pelo menos dois candidatos estão se destacando dos demais e tudo indica que pelo menos um dele deve se eleger contra a vontade de algumas lideranças políticas.

  • Infelizmente o que estaria mais difícil não seria o dindim ou as condições climáticas. O problema é a falta do voto mesmo. O eleitor está querendo votar em branco o que seria um lamentável erro, pois o voto é a principal arma do cidadão para tentar mudar as coisas. O eleitor consciente cumpre com o seu dever votando. O negócio é votar bem e não errar na escolha do candidato.

  • Falar nisso, esta semana eu testemunhei uma aposta de quem teria mais votos para deputado federal aqui na fronteira: Any Espinola (PSDB), Brunoí Reichardt (MDB), Eduardo Gaúna (Podemos). Infelizmente, as pesquisas indicam que poderá ser um candidato de fora que nada tem a ver com Ponta Porã e a fronteira.

QUEM FALHOU?

  • Muita gente importante ficou preocupada com o "pinguinho" de gente na recepção ao candidato a Presidente da República do PSDB Geraldo Alckmin que visitou Ponta Porã na quinta-feira da semana passada, 6 de setembro, em companhia do governador Reinaldo Azambuja. Tudo indica que a falha foi da equipe do governador que disputa a reeleição, que não soube promover uma visita tão importante. Foi um fiasco ou quase isso.

  • Não é à toa que muitos candidatos estão se queixando da falta de interesse da população que está fria e sem entusiasmo com a presente campanha eleitoral. Está todo mundo desanimado com a falta de empenho do eleitorado a respeito do resultado das eleições, inclusive muitos líderes e cabos eleitorais. Até parece que está todo mundo esperando alguma coisa e, por incrível que pareça, não se trata do glorioso dindim.

BOLSONARO

  • Não há nada mais a comentar sobre o lamentável atentado ao candidato a Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Tudo o que se deveria dizer sobre o assunto já foi dito pela grande imprensa e pelos maiores comentaristas políticos. O atentado a faca não deverá mudar nada na corrida presidencial. Quem era Bolsonaro continuará Bolsonaro, mas deve-se admitir que o triste episódio quebrou o ritmo da campanha eleitoral.

  • Os mais otimistas, porém, garantem que nos próximos 15 dias Bolsonaro reverte com vantagem a situação e continuará líder nas pesquisas. Os amigos do pecuarista Aureovaldo do Amaral agradecem.

J. N. Oliveira

jndeoliveira@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário