Segundo escalão do próximo governo poderá vir de Brasilia, leia na Coluna JN

Jornalista e escritor João Natalício de Oliveira

12/06/2018 07h - Jornal de Noticias

 

INFORME JN

REFORMA

  • Não foi por causa da greve dos caminhoneiros e nem por falta de óleo diesel que o Jornal de Notícias não circulou semana passada. A causa foi a reforma. E também não se trata da reforma política, reforma da previdência ou coisas do gênero. Foi a reforma do teto do prédio onde está instalado o jornal que desabou com o temporal que caiu em Ponta Porã meses atrás. O perigo para todos nós era o resto que ficou cair sobre nossas cabeças provocando um prejuízo muito maior. Felizmente a edição desta semana está compensando tudo.

GREVE DOS CAMINHONEIROS

  • Com relação à greve dos caminhoneiros não fui a favor nem contra, muito pelo contrário. Concordo com os comentários do jornalista Alexandre Garcia da Rede Globo quando afirmou que o Brasil hoje está refém do transporte rodoviário, por culpa dos Governos anteriores que simplesmente desativaram as ferrovias no País, ainda hoje em plena atuação nos principais países da Europa e da Ásia. Onde estão, por exemplo, a Noroeste do Brasil, Companhia Paulista, Nogiana e tantas outras ferrovias por esse Brasil afora?

  • Os grandes comboios de trens de carga poderiam demorar um tempo três vezes maior com as cargas, mas também o custo do transporte eram três ou quatro vezes mais baratos e seguros. É por isso que ultimamente os governos estaduais e federal estão voltando a empenhar-se na construção de ferrovias para cortar o País de Norte a Sul e do Leste a Oeste, como esse projeto do Governo de Mato Grosso do Sul na implantação da ferrovia ligando o nosso Estado ao Norte do Paraná, passando por Maracaju, Dourados até alcançar Cascavel e de lá ao Porto de Paraná no Estado do Paraná.

  • No fundo, no fundo essa paralisação dos caminhoneiros teve dois grandes méritos: colocou todo mundo prá correr (autoridades do Governo Federal, dos Governos Estaduais, políticos corruptos e não totalmente corruptos) e deixou o alerta para todo mundo a respeito da necessidade de grandes projetos para a construção de ferrovias o mais rápido possível.

NÓS PODEMOS

  • Depois dessa verdadeira cruzada rodoviária das últimas semanas ficou a certeza para as pessoas de bom senso que unidos nós Podemos mudar para melhor o Brasil. E já que o assunto é esse, vamos comentando a respeito do pedido de explicações feito pela Polícia Federal ao presidente a Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã, Eduardo Gaúna, pelo seu comportamento de incentivar a greve dos caminhoneiros. Segundo consta, o objetivo da manifestação da ACEPP seria apenas apoiar as reivindicações apresentadas pelos caminhoneiros.

  • Conforme assessores do presidente, a intenção da Associação Comercial nada mais foi além disso. Melhor assim. Já é público que o presidente Eduardo Gaúna é pré- candidato a deputado estadual pelo PODEMOS na chapa do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira e tinha que se manifestar favoravelmente a um movimento de repercussão nacional. Parece que agora ficou tudo como antes no quartel de Abrantes. Falar e quartel... não sei não!

PRIMEIRO ESCALÃO

  • Estou ouvindo de fontes políticas bem informadas, que se o candidato pedetista vencer o pleito para o Governo do Estado, a formação do Primeiro Escalão do seu Governo somente terá nomes do Judiciário procedentes de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Os nomes indicados de Mato Grosso do Sul, ocupariam cargos menores.

  • Outra coisa: os mandatários do PDT a nível estadual – João Leite Schimidt e deputdofederal Dagoberto Nogueira – não teriam tanta força de comando no Governo de Odilon, caso ele vença a eleição em outubro. O homem forte do respeitável juiz aqui em Mato Grosso do Sul seria o conselheiro Jerson Domingos, cunhado do "manda-chuva" Jamil Name, o conhecido e respeitado Canguru.

  • Por outro lado, quem conhece bem o glorioso João Leite Schimidt sabe que uma das canetas do "governador Odilon" estará com atuação permanente em sua mão direita. Dizem que o pré-candidato Odilon é canhoto. Além do mais, essa conversa que o pessoal do Primeiro Escalão viria todo de fora deve ser conversa de caminhoneiro que se julga passado prá trás. Segundo consta, até aqui em Ponta Porã tem um dito cujo contando certo com um cargo de Primeira Escalão no Governo Odilon. Vai ter que rezar muito.

TUDO MAIS CARO

  • Uma verdade: não precisa ser doutor ou dispor de bom grau de escolaridade para analisar os fatos com isenção e sem a obrigação de agradar alguém. Conversando semana passada com um cidadão de bem, com pouca escolaridade, prestador de serviços comunitários, muito ponderado, que analisou assim o resultado da greve dos caminhoneiros: "Os caminhoneiros fizeram greve contra o aumento exagerado do diesel, mas obrigaram os brasileiros a pagarem tudo mais caro, principalmente os alimentos, gás de cozinha e todos os gêneros de primeira necessidade impondo ao País prejuízos de bilhões de reais, além de paralisarem o Brasil em todos os setores". Foi isso mesmo e muito mais.

J. N. Oliveira

jnnoticias@jnnoticiaspp.com.br

Envie seu Comentário