22/05/2016 10h20

Artigo: Qual o X da questão no agronegócio?‏

Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM, Comentarista da Rádio Jovem Pan.

Divulgação: Dora Nunes
 
 

O X da questão significa competência e responsabilidade em toda cadeia agroalimentar. Existe uma ação, eu diria ingênua ou mal intencionada de associar a produção alimentar do Brasil a uma cachoeira de veneno, agrotóxico ou defensivos. Ou seja, o nome que você prefere para o controle de pragas, doenças e ervas daninhas.

O X da questão está em não querer destruir a ciência e a tecnologia, ao invés de corrigir a consciência do seu uso, e o conhecimento da sua utilização, ou enganar a população com o falso terror de ao comer uma manga, melão, estar comendo a maçã envenenada da bruxa da Branca de Neve.

Da mesma forma, considero desonestidade brutal associar os agricultores brasileiros, que significam hoje exemplo de empreendedorismo e cooperativismo, a envenenadores vampirescos e toda categoria agronômica responsável pelos receituários em falsários. Irresponsável é quem faz e promove esta malévola percepção.

Menciono aqui o texto que acabei de receber da Dra. Agrônoma, Anita Gutierres, do Ceagesp. Ela diz: "As cenas apresentadas na novela Velho Chico com trabalhadores lavando pulverizadores costais no rio, de mangas colhidas após a aplicação de agrotóxicos são muito improváveis e, se ocorrerem, o coronel poderia ser preso pela fiscalização da Defesa Sanitária Vegetal".

E a Dra. Anita ainda explica que a legislação brasileira é tão severa quanto a dos países mais avançados e que no negócio da exportação somos fiscalizados e obrigados a seguir padrões de elevada exigência como Global GAP e FDA.

Temos muito a fazer? Sim. E nisto também vale uma autocrítica do setor que precisa e deve investir em recursos e verbas muito mais amplas na comunicação educadora de todos os agentes envolvidos na cadeia agroalimentar.

Então, o X da questão no agronegócio não está em bombardear a ciência e a tecnologia, ou suas empresas e pessoas. E sim termos muitos investimentos em comunicação educadora das práticas corretas no campo, que asseguram a boa alimentação.

E nisso, o Brasil tem áreas de excelência na sustentabilidade e na responsabilidade social do seu agronegócio. Os produtores brasileiros geram riqueza e alimentos para o Brasil e o mundo. Não os trate como envenenadores, eles são trabalhadores. Eis aí o X da questão.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel

Envie seu Comentário