Artigo: Seleta sociedade caritativa e humanitária: história mal contada

Por: José Alberto Vasconcellos

10/09/2018 13h00 - DN

 

No meu segundo livro "Fadas, Raposas e Lobisomens", editado em 2010, às págs. 114/116 está uma crônica escrita em 04.12.2007, intitulada "Comemorações: as deles e as nossas", onde lembrávamos que naquele próximo ano, o de 2008, comemoraríamos os 200 anos da fuga da Corte Portuguesa para o Brasil, em 1808, liderada por D.JOÃO VI, fugindo das tropas de Napoleão Bonaparte.

Na mesma crônica, lembrávamos, também, da chegada ao Brasil dos primeiros imigrantes japoneses em 1908, no navio "Kasato Maru", somando 150 famílias, num total de 782 pessoas, lideradas pelo Dr. SHUHEI UYETSUKA, imortalizado, pela dedicação aos seus liderados, como o "Pai da imigração japonesa no Brasil". Falecido em 1935, tem o seu túmulo na cidade de Promissão, onde eu nasci. Como vereador em Dourados, diligencie como tribuno para a edição da Lei Municipal n, 1421, de 30 de junho de 1987, por ocasião do octogésimo aniversário da chegada dos imigrantes ao Brasil, na qual ficou estabelecido um lugar público para a colocação de uma estátua do Dr. SHOREI UYETSUKA, prometida pelo Cônsul-Geral do Japão, que se esqueceu da promessa feita no plenário da nossa Câmara Municipal.

O que escrevemos depois, para complementar a crônica, foi o seguinte, verbis: "O terceiro acontecimento que temos a comemorar neste ano de 2008, foi a fundação , na cidade de Corumbá, em nosso Estado, no dia 02.08.1908, da SELETA SOCIEDADE CARITATIVA E HUMANITÁRIA — S::S::C::H::. Sociedade discreta e com funcionamento reservado, e que tem dedicado-se, desde a sua fundação — ao seu principal e único objetivo — o de PROPICIAR ENSINO FUNDAMENTAL ÀS CRIANÇAS das camadas sociais carentes, nas comunidades periféricas, onde tem seu QUADRO instalado. Seu SLOGAN: " Também com os pés no chão, aprende-se a lição!"

"Dediquei uma boa parcela do meu tempo para essa entidade sem fins lucrativos: reescrevi, em 1975, como Secretário-Geral assessorando o saudoso professor ARMANDO DA SILVA CARMELO, então presidente do Grande Quadro, os Estatutos da entidade que ainda mantinha seu texto de 1908; assim como desenhei a cédula de identidade dos associados. As providências foram aprovadas por unanimidade pelos Quadros da Seleta e os novos Estatutos foram então impressos e distribuídos; assim como emitidas e distribuídas as identidades que até então não existiam."

"Os membros da "Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária" constitui um grupo solidário, cônscio da sua missão de trabalhar pela educação das crianças carentes e bastante disciplinado quando reunido. Em situações especiais, comunicam-se numa linguagem cifrada, o "Farrapo". O aniversário de cada Quadro sempre coincide com o aniversário da cidade onde se encontra. As melhores festas de aniversário sempre foram em Corumbá, cidade onde foi fundada a entidade, em 1908."

Assim esclarecida e registrada a verdadeira história da referida entidade: Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária, estranhamos: lº) - o aniversário de Dourados é no dia 20 de dezembro, ocasião em que também comemora-se o aniversário do Quadro: 2º) - o SLOGAN da S::S::C::H::, sempre foi, desde sua fundação há 110 anos: "Também com os pés no chão, aprende-se a lição!"

Por fim, temos que reconhecer que a Nota sobre a homenagem que a Câmara Municipal fez à Seleta, noticiada no jornal "O Progresso." edição de 30.08.2018 — iniciativa louvável — que transmite regozijo ao trabalho desenvolvido pelos membros da entidade, não obstante o registro histórico que se fez sobre a homenageada está incorreto, contrariando a tradição e os regulamentos estatutários da entidade, desde sua fundação. O aniversário do Quadro da Seleta em Dourados tem sua comemoração no dia 20 de DEZEMBRO, dia em que se comemora o aniversário de Dourados, quando os "parentes" do Quadro local recebem a visita dos "parentes" dos demais Quadros.

Outrossim, o slogan ali registrado: "Todos por um e um por todos" é dos "Três Mosqueteiros" e nunca foi da Seleta, que sempre — e tão só — trabalhou pela educação primária das crianças carentes nas periferias, daí seu slogan: "Também de pés no chão, aprende-se a lição."

Com nossas escusas pelo alerta, rogamos que se corrija o conteúdo da Nota publicada no jornal, restabelecendo a VERDADE, no que tange, a história da S::S::C::H::, e que do ensejo colham a oportunidade para homenagear os "parentes" que fundaram a entidade em Corumbá, em 03.08.1908, portanto há 110 anos.

Como diria o saudoso "parente" Altair da Costa Dantas, o "Alcodan": "Assim foi, assim é, e assim será: a história é uma só"

03-09-2018 (4600) Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário