19/11/2014 06h10

Grandes, médios e pequenos - por José Alberto Vasconcellos.

Sendo HONESTO no Brasil, o sujeito só tem a perder.

Divulgação (TP)
 
 
José Alberto Vasconcellos. Membro da Academia Douradense de Letras.José Alberto Vasconcellos.

Membro da Academia Douradense de Letras.

A Polícia Federal, previdente, adquiriu uma frota de ônibus de todos os tamanhos. Algumas pessoas estranharam esse investimento na logística da corporação, outras mais “inocentes” absolutamente despreocupadas, continuaram deslumbradas com a paisagem, mandando dinheiro para o exterior e tomando uísque. O motivo justifica-se agora: os ônibus maiores são utilizados pela primeira vez, para transportar a alta cúpula administrativa da Petrobrás, que se avoluma a cada dia.

O transporte tem sido tão intenso, que pode ser classificado como problema de mobilidade urbana. O número de indiciados no processo sob a batuta do DOUTOR SÉRGIO MORO, é igualável apenas ao do ministro Barbosa do S.T.F., por peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, venda de pipoca e, sobretudo ficar na fresca, enquanto a Petrobrás queimava e imergia ao mesmo tempo.

Sendo HONESTO no Brasil, o sujeito só tem a perder. O ex-ministro Joaquim Barbosa, compulsoriamente reformado no S.T.F., teve seu registro na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) negado, enquanto o Òrgão mantém o registro do “memorável” Zé Dirceu, enjaulado por “administrar” o “mensalão”. A negativa da OAB, envergonhou a classe dos advogados.

Na edição de 08.11.14, louvamo-nos no testemunho de AYN RAND, uma filósofa judia que em 1920 fugiu da Rússia comunista para os EUA., para escrever e, vamos reescrever: “Quando você perceber que, para produzir precisa obter autorização de quem não produz nada; Quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; Quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que AS LEIS NÃO NOS PROTEGEM DELES, MAS, PELO CONTRÁRIO, SÃO ELES QUE ESTÃO PROTEGIDOS DE VOCÊ; Quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto de sacrifício; Então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.” (Google).

Atente ao que informa a revista VEJA, ed.05.11.2014, à pág. 62 e ss.), verbis: “Agora, querem destruir o juiz. Os acusados no escândalo do petrolão se movimentam para impedir o avanço das investigações. O alvo principal é SERGIO MORO, o magistrado responsável pelo processo que está desnudando o maior caso de corrupção da história.” “A história recente do Brasil tem algumas lições para o juiz federal SÉRGIO FERNANDO MORO. Relator do processo do mensalão, o ex-ministro JOAQUIM BARBOSA recebeu do PT a alcunha de traidor e foi atacado, de forma impiedosa, antes mesmo de decretar a prisão da cúpula do partido.”

Voltando aos indiciados e seus advogados. Quaisquer dos causídicos que representam os acusados, pouco sabem da vida do patrocinado, mas diante das câmeras de TV, quando entrevistados afiançam, convictamente, que “seu injustiçado cliente” é inocente e que ele apóia as investigações, não vai se “condoer” quando “doer a quem doer”, “—Nem que o acusado seja o pipoqueiro do Congresso, e venha a morrer na Cadeira Elétrica!

O advogado, entende-se, há de restringir-se ao processo; ver onde o juiz “errou”, embora o magistrado tenha tomado a decisão, olhando para a foto do “meliante”

metendo dinheiro na cueca! Alguns desses advogados, tentando aparecer na mídia, falam bobagens. Esse procedimento é uma ofensa, porque enxergam o cidadão como paspalho!

Todos precisam saber: os envolvidos – todos eles, ET CATERVA – incluídos aí os partidos e os políticos, que a alegria do povo é ver o “intocável” tangido pela polícia. É o que acontece, quando em diligência, a Polícia arranca da toca luxuosa, um ladrão bem nutrido, gordo, comedor de caviar e contador de mentiras; que armazenou em seu nome, o dinheiro que deveria comprar a merenda escolar para crianças famintas; um leito para um idoso que está morrendo à míngua, no chão de escombros tidos como hospitais; construir escolas, eliminando os barracos e os banheiros nos matagais; presídios para enjaular bandidos condenados; e outras providências que dignificariam os brasileiros, orgulhariam a Nação e enriqueceria o País, glorificando os antepassados, que nos legaram esta República Federativa do Brasil, livre e democrática!

Mais que novela, nada supera a alegria daqueles que pagam impostos, assistir o desfile dos “graúdos” sob a tutela da polícia, com o rosto escondido pela vergonha que nunca tiveram, quando tiraram o pouco de quem não tinha nada.

Interessante registrar, que todos os “tutelados” que vêm lotando os ônibus da Polícia Federal rumo à jaula, alegam problemas cardíacos.Como exemplo, Zé Genoíno do PT, que diz ter o coração “estragado”.

A conclusão lógica: pela carência de qualquer sentimento cristão, esses marginais, realmente, têm o CORAÇÃO PODRE!

E haja ônibus!

18.11.2014 (4.800) Membro da Academia Douradense de Letras.

(josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário