19/08/2017 05h40

Jararaca de Garanhuns: Ameaçadora e premonitória por José Alberto Vasconcellos

Seu voto é a moeda que vai comprar a tranqüilidade social, promover o progresso da Nação e o desenvolvimento do País.

Divulgação (TP)
 
 

Na Coluna "C", da lavra do Cícero Faria, publicada no "O Progresso", ed. 14.08.2017, lemos a bravata daquela jararaca que apanhou só rabo e manteve a cabeça safa do porrete democrático, verbis: "Lula criticou a Operação Jato, o juiz Sérgio Moro e disse que não irá morrer antes de voltar a governar o País". Afirmou ainda que quem compõe a força–tarefa da Lava Jato "é um partido político" e prometeu que fará a regulação dos órgãos de imprensa, se eleito."

Assiste razão ao Lula, quando critica a Operação Lava-Jato e o Juiz Sérgio Moro, porque foi este juiz e a tal Operação Lava-Jato que atrapalhou seus planos. Esparramaram os pelegos, meteram na cadeia uma dezena deles e arrolou uma centena de escroques em processos que prometem jaula. Ele mesmo, o Lula, já é candidato a uma jaula simples, de baixa categoria, como manda a lei, onde deverá "morar" por nove anos, já que não freqüentou escola e sua classificação, no regime penitenciário, é o mais baixo.

O juiz Moro é criticado pelo seu trabalho, ao qual tem dedicado-se com responsabilidade, empenho e perseverança, buscando recompor o País do estrago perpetrado pela ação de um petista, que dizendo-se o paladino do "Fome Zero" e protetor dos trabalhadores, quebrou a maior empresa brasileira, a Petrobrás, afundou outras tantas, públicas e privadas e atingiu o auge da sua "política governamental", com catorze milhões de desempregados.

A promessa de que "não morrerá antes de voltar ao governo", revela que além do que já foi apurado pela Lava-Jato, não se sabia que Lula tinha o dom da premonição para prever e bradar convicto: "não morrerei antes de voltar ao governo."

Afiançou, ainda, que "quem compõe a força-tarefa da Lava Jato "é um partido político". Observem: o homem também é dotado de percepção extra-sensorial.

Por fim, inspirando-se no comunista Lênin, ameaça a liberdade democrática da informação, prometendo: "que fará a regulação dos órgãos de imprensa, se eleito."

São declarações hipócritas que não enganam mais ninguém, principalmente os catorze milhões de desempregados e os empresários que viram seus negócios minguarem e morrerem sufocados pela carga tributária, cobrada e desviada para abastecer a militância acoplada ao "governo petista".

Para fazer-se um cálculo aproximado, só no Lago Paranoá, em Brasília, havia 45 mil pescadores cadastrados e aptos a receber, todos os anos, o defeso (período em que a pesca é proibida). Tendo-se o número desses pescadores em área restrita, como beneficiários do dinheiro público, podemos deduzir quantos "Sem terra", Bolsas família, Ong´s, Sindicatos e outros engenhos criados para pelegos, existem no País. Tudo pago com o seus impostos, que já demandam seis meses de trabalho para cobri-los.

Como disse alguém: "O ladrão escolhe suas vítimas; na política, os eleitores escolhem os ladrões." Quem trabalha, produz e paga os impostos cobrados, deve escolher com parcimônia em quem votar, para que o dinheiro volte em forma de saúde, educação e segurança; também como infra-estrutura, no saneamento, água tratada, pavimentação e mobilidade.

Fiscalize o trabalho daqueles que hoje estão no poder, verifique o que o Prefeito, o Governador e o Presidente da República andam fazendo; verifique o que fazem os vereadores, os deputados estaduais e federais, os senadores e alije, sem remorso, aqueles que não apresentam nada de útil. Nos parlamentos é fácil identificá-los: permanecem de pé cochichando com colegas, inteiramente alheios à função que exercem, interessados apenas em tirar vantagem.

Tenha em conta, sempre, que se o político é ladrão do imposto que você pagou, ele está lá, porque foi você que o colocou naquele lugar! Cometida a bobagem de votar num calhorda, acreditando nas suas promessas, sem verificar quem é o sujeito, você eleitor, terá de agüentá-lo durante todo mandato, que dura anos... a irresponsabilidade do seu voto prejudica a Nação e muito mais sua família, que vai sentir na saúde, na educação e na segurança, os efeitos do roubo dos recursos públicos. Até na merenda escolar, seu filho vai sentir a diferença!

Seu voto é a moeda que vai comprar a tranqüilidade social, promover o progresso da Nação e o desenvolvimento do País.

14.08.2017 (4580) Membro da Academia Douradense de Letras. (josealbertovasco@yahoo.com.br)

Envie seu Comentário