17/01/2017 15h

Artigo: PURAHEI IJAPYRA’YVA

Por: Rosildo Barcellos

Divulgação: Dora Nunes
 
 

Algumas pessoas constroem, de uma hora para outra "erroneamente" ou por comentários, ou por se ouvir falar. uma imagem negativa, de alguém ou de algum local chegando por vezes a se rotular um país inteiro, fazendo baixar uma névoa espessa de desconhecimento sobre determinados temas e assim também aconteceu com Brasil e Paraguai, alterando os ricos laços culturais e etnológicos que nos unem a este povo irmão. Na música sertaneja brasileira, músicas de estilo paraguaio, como chamadas no meio, rasqueados e guarânias, desde as décadas de 40 e 50, incorporaram-se definitivamente ao repertório da música popular brasileira.

Os paraguaios são o maior grupo étnico estrangeiro em Mato Grosso do Sul, tendo se estabelecido na região desde a demarcação da fronteira entre o estado e aquele país.Certamente que a sua influência cultural se tornou amiúde tanto pelo consumo de erva-mate, em forma de tereré,tanto pelas polcas paraguaias, guarânias e chamamés, ou ainda pelas chipas . Aliás, foi com uma receita caseira paraguaia, que se criou o Hospital Adventista do Pênfigo, hoje referência no tratamento do pênfigo ou "fogo selvagem".Em uma conversa com o ícone da sanfona no estado, o músico Maciel Correa, comentava que a projeção do rasqueado do Mato Grosso do Sul para os grandes centros foi atribuída ao compositor Délio ( conhecido pela dupla Délio e Delinha – o casal de onças do Mato Grosso) Aliás foi com ele que pela última vez a dupla pisou num palco juntos em 2008 na gravação do DVD de Maciel.Ele conta também que além do amor divulgaram eficazmente as belezas naturais do nosso estado e que o ajudou muito na gravação do primeiro disco "Cadeado de Ouro" alem de eternizar a célebre frase "Segura Maciel Correa"

São agora 40 anos de carreira desde os primeiros passos inspirado em Zé Correa, "o inimitável", até os dias atuais. Com dez irmãos, o músico nascido em Rio Brilhante, disse não saber explicar a origem de seu talento para compor. De acordo com o mestre da sanfona, a música simplesmente "vem". Como maiores sucessos ele destaca ‘Diamante Negro‘, Cadeado de Ouro’, ‘Manhã de Primavera’ e ‘Cheiro de Barro’. E complementa "Eu cresci ouvindo polca paraguaia, nessas fronteiras o que mais se escutava era isso. Meu pai tocava polca, eu aprendi a tocar".Ele, conta que sua paixão sempre foi tocar acordeom, ou sanfona, e que para aprender fez um mês de aula e brincou dizendo que até hoje está tentando aprender a tocar! Para quem está começando, Maciel recomenda que nada na vida é conquistado do dia para a noite. "Tudo é através de uma caminhada. "Se desistir no primeiro obstáculo, não vai chegar a lugar algum, tem que insistir e perseverar naquilo que quer". E é essa humildade parceria e encantamento musical que resume a vida de Maciel Correa, exemplo de artista e de pessoa e continue cantando o amor por que sabemos "Mborayhu ha Ñandejára rovasa peẽme guarã" que o amor é a benção de Deus sobre nós.

*"PURAHEI IJAPYRA’YVA" (LA CANCIÓN SIN FRONTERAS - A CANÇÃO SEM FRONTEIRAS).

*Articulista

Envie seu Comentário