Dignidade e respeito

"Nem o presidente veio", diz mãe de atleta após Flamengo negar acordo

Insatisfeitos com a postura de representados do clube, familiares das vítimas do incêndio no CT Ninho do Urubu deram negociações como encerradas

22/02/2019 08h40 - R7

 
De luto, mãe de Arthur lamentou desgaste com o clube Reprodução/RecordTV RioDe luto, mãe de Arthur lamentou desgaste com o clube
Reprodução/RecordTV Rio

Os familiares das vítimas do incêndio do CT Ninho do Urubu deixaram o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), no centro do Rio de Janeiro, insatisfeitos com a postura de representes do Flamengo na audiência de conciliação nesta quinta-feira (21), e deram como encerradas a discussão sobre as indenizações.

Os parentes reclamaram da ausência do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e também da saída repentina de um vice-presidente do clube na reunião, alegando ter outros compromissos.

"O presidente do Flamengo (Rodolfo Landim) não veio para a reunião. Com 15 minutos, o vice-presidente, que estava presente, saiu sem dar satisfação. Não ficou ninguém do Flamengo para dar aval para que as negociações avançassem. Faltou dignidade e respeito com os pais das vítimas. A cada dia que passa, mais desgaste gera. Fica difícil até mesmo o luto", disse Marília, mãe do atleta Arthur Vinícius, que morreu na tragédia.

À Record TV, Marília disse que o Flamengo fez uma proposta de indenização "muito pequena" e as negociações estão encerradas. "Nossos filhos morreram juntos e vamos lutar juntos. Isso é o que foi combinado", finalizou.

O encontro de hoje foi a primeira reunião entre Flamengo e familiares das 10 vítimas mortas na tragédia do centro de treinamento do clube, em Vargem Grande, no último dia 8, para tratar de valores das indenizações.

Anteriormente, Defensoria Pública, MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e MPT (Ministério Público do Trabalho) tentaram intermediar um acordo coletivo. Porém, o Flamengo recusou a proposta apresentada pelos órgãos de R$ 2 milhões em um primeiro momento e mais uma pensão de R$ 10 mil mensais até a data em que os atletas completariam 45 anos.

Procurado, o Flamengo informou que não irá se manifestar.

Envie seu Comentário