16/02/2018 14h

Sindicalistas preparam ações de protesto à reforma previdenciária na segunda, dia19

Algumas categorias de Campo Grande e interior do Estado estudam aderir à greve geral nesse Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência.

 
 

Trabalhadores da iniciativa pública e privada de Mato Grosso do Sul e de todo Brasil realizam manifestações de protesto na segunda-feira (19) contra a tentativa do governo de aprovar a Reforma da Previdência. Algumas categorias de Campo Grande e interior do Estado estudam aderir à greve geral nesse Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência.

Ontem à noite membros do Sindjufe-MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União) se reuniram em assembleia geral e decidiram manter "estado de greve" (não param as atividades, ficam de vigília). Além disso, vão manter contato com os parlamentares da bancada de MS para, mais uma vez, insistir com todos eles para que não aprovem essa matéria que é prejudicial aos trabalhadores brasileiros, informa José Ailton Pinto de Mesquita, Coordenador Jurídico do sindicato.

Na próxima semana a entidade volta a se reunir com os associados para avaliar a atual conjuntura dessa ameaça que tramita entre Governo e Câmara dos Deputados e senadores. "Apesar de não paralisarmos agora, não significa que estamos alheios à preocupação com essa reforma. Pelo contrário, estamos atentos e daremos apoio a outras manifestações públicas que serão realizadas em Mato Grosso do Sul", informa José Ailton.

Agora pela manhã o SISTA/MS – Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Institutos Federais de Ensino de MS estão reunidos no auditório da UFMS para tratar, entre outros assuntos, dessa questão da greve geral na segunda-feira, dia 19. No final, vai prevalecer a vontade da maioria sobre paralisação ou não, ou se adotam outro tipo de protesto na segunda-feira.

Outros sindicatos e federações de trabalhadores também estão realizando assembleias esta semana para decidir a forma de protesto na segunda-feira. As centrais sindicais também apoiarão os movimentos em Campo Grande e interior do Estado. Da mesma forma, elas estão unidas em todo o país para "sacudir o Brasil" e sensibilizar os parlamentares, que pelo menos nesse ano de eleição, não convém contrariar a vontade popular.

Envie seu Comentário