02/09/2017 07h40

Cem dias após falência, Usina São Fernando vive nova realidade

Nenhum funcionário foi demitido em razão da falência, os salários estão sendo pagos em dia e o plano de saúde foi mantido.

Douradosnews
 
 
Usina São Fernando, em Dourados - Foto: DivulgaçãoUsina São Fernando, em Dourados - Foto: Divulgação

A Usina São Fernando, instalada em Dourados, passa por um novo momento após se ver afundada em dívidas. Quase cem dias após a falência judicial, a indústria começa a deixar para trás a fase de descrédito e de falta de confiança e já colhe os resultados positivos da nova administração e deve ter todo o ativo vendido ainda este ano.

No início de junho de 2017, quando o juiz da 5ª Vara Cível de Dourados, Jonas Hass da Silva Junior, decretou a falência e nomeou como administrador judicial o escritório Vinicius Coutinho Consultoria e Perícia, a São Fernando tinha R$ 1.200 em caixa, estoque de produtos zerado e centenas de obrigações a cumprir com terceirizados, fornecedores e com a folha salarial.

Nenhum funcionário foi demitido em razão da falência, os salários estão sendo pagos em dia e o plano de saúde foi mantido.

A operadora São Francisco Saúde, responsável pelo serviço médico dos funcionários, ameaçava suspender os atendimentos por inadimplência. A administração judicial negociou com a operadora e o plano de saúde foi mantido, com a garantia de que não será suspenso sem prévia notificação.

O transporte coletivo dos funcionários também estava ameaçado. A empresa que transporta os trabalhadores da indústria e da administração também ameaçava suspender o serviço por atraso no pagamento, mas a administradora judicial conseguiu garantir a sua continuidade.

Também foram mantidos os contratos de prestação de serviço terceirizado, como colheita, transporte, alimentação e veículos, todos agora com os pagamentos em dia.

Com a "casa sendo colocada em ordem", a administradora judicial já iniciou os passos para uma nova São Fernando.

Houve reuniões e vídeo conferências com grupos de investidores interessados em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Dourados e Campo Grande.

Nas cidades citadas, as reuniões foram presenciais. As vídeo conferências foram com grupos internacionais, dos Estados Unidos, França, Inglaterra e Argélia.

A pedido da administradora, a Justiça determinou a alienação dos ativos (venda) da empresa na modalidade de proposta fechada. A entrega dos lances livres em envelopes lacrados será feita no cartório da 5ª Vara Cível da Comarca de Dourados, nos dias 18 e 19 de setembro, das 12h às 19h.

Na sequência, será realizada a assembleia geral de credores, em primeira convocação marcada para o dia 25 de setembro e, em segunda convocação, no dia 2 de outubro de 2017, para que possam opinar sobre a melhor proposta. Na ocasião também será deliberado sobre a eventual constituição do comitê de credores. O valor fixado para a venda é de R$ 716, milhões.

Comercialização de álcool

Os números comprovam o novo momento da indústria. Em 52 dias de administração judicial, contados no período de 9 de julho a 31 de julho, a Massa Falida da São Fernando Açúcar e Álcool comercializou 25.745,03 metros cúbicos de álcool, gerando um faturamento bruto com álcool de R$ 38,6 milhões.

Para agregar mais valor ao produto, a Administração Judicial tem evitado os "atravessadores" na comercialização do álcool e negocia diretamente com as distribuidoras, aumentando a renda líquida.

A administração judicial conseguiu ainda outras conquistas importantes, como a manutenção dos benefícios fiscais e deu o primeiro passo para retomar a outorga da Aneel para comercialização de energia elétrica. A suspensão da outorga em decorrência de constantes descumprimentos contratuais diminuiu consideravelmente a capacidade de produção de renda.

Outro avanço ocorreu nas conversas com os produtores. Inicialmente a administradora nomeada pela Justiça enfrentou grande resistência por causa dos problemas do passado. Muitos rescindiram o contrato, mas outros acreditaram no novo momento e continuam apoiando. "Estes estão recebendo a quota-parte da parceria impreterivelmente em dia", afirma o advogado Rafael Vincensi, assessor jurídico da Administração Judicial.

Envie seu Comentário