28/10/2017 06h50

Com bandeira vermelha, conta de luz terá custo mais alto em novembro

As bandeiras servem para repassar ao consumidor os custos extras das distribuidoras ao longo do ano.

Folhapress
 
 

Sem melhora na situação dos reservatórios das hidrelétricas, a conta de luz terá custo mais alto em novembro.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou nesta sexta-feira (27) que será aplicada a bandeira vermelha, no patamar 2, no próximo mês. Isso representa uma cobrança de R$ 5,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.

Apesar de a bandeira do mês de outubro ser a mesma, o custo subirá em novembro porque a Aneel revisou a metodologia das bandeiras tarifárias.

Na última terça (24), a agência reguladora aprovou o aumento da cobrança máxima -a bandeira vermelha em patamar 2- de R$ 3,50 (valor que vigora até este mês) para R$ 5 a cada 100 kWh.

"Não houve evolução na situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas em relação ao mês anterior e, ainda que não haja risco de desabastecimento de energia elétrica, é preciso reforçar as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício", informou a Aneel.

As bandeiras servem para repassar ao consumidor os custos extras das distribuidoras ao longo do ano. É o que ocorre quando falta água: as empresas contratam energia mais cara -de termelétricas, por exemplo- para compensar o nível baixo das hidrelétricas, e as bandeiras amarelas e vermelhas, em primeiro e segundo patamar, são acionadas.

Envie seu Comentário