Educação

Corte de R$ 17 milhões do orçamento do IFMS vai atingir 36% do custeio e 75% do investimento, diz reitor

Instituição teve 42% do seu orçamento bloqueado pelo governo federal.

14/05/2019 08h55 - G1

 
Reitor do IFMS, Luiz Simão Staszczak — Foto: Átilla Eugenio/TV MorenaReitor do IFMS, Luiz Simão Staszczak — Foto: Átilla Eugenio/TV Morena

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) tinha um orçamento de aproximadamente R$ 40 milhões para 2019. Desse total, a instituição perdeu R$ 17 milhões, o equivalente a 42%, com o bloqueio determinado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O reitor do IFMS, Luiz Simão Staszczak, disse nesta terça-feira (14), em entrevista no "Papo das Seis", do Bom Dia MS, que o bloqueio representa um corte de 36% dos recursos previstos para o custeio da instituição e de 76% do investimento.

Staszczak adiantou que o corte vai afetar diretamente as ações pedagógicas e o atendimento aos projetos que são desenvolvidos no instituto federal, levando preocupação principalmente aos alunos, já que a instituição trabalha para oferecer excelência na educação profissional e na tecnológica.

O corte de recursos - que afetou todas as instituições federais de ensino técnico e superior do país, conforme o reitor, já provocou uma mobilização dos alunos e da comunidade escolar, que nesta segunda-feira (13) promoveram um abraço simbólico em defesa da educação aos prédios de 650 campi de institutos federais em todo o Brasil.

Ao mesmo tempo, ele explicou que a diretoria do conselho de reitores dos institutos federais discute alternativas com a frente parlamentar criada em defesa dessas instituições e também com o governo federal.

Ele explicou que houve uma reunião com o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Ariosto Antunes Culau, que se comprometeu em manter as ações em desenvolvimento nos institutos federais neste semestre e fazer todo o esforço, para reverter ou pelo menos minimizar os impactos desse corte para as instituições no próximo semestre.

Apesar dos cortes, o reitor do IFMS garantiu as matrículas e a oferta de novas vagas para o segundo semestre deste ano. Segundo ele, são 640 vagas em cursos técnicos e 560 vagas em cursos de ensino à distância (EaD).

Envie seu Comentário