02/03/2018 06h10

Defensoria Pública questiona Correios sobre reajuste de preços

Foi questionado quais os fundamentos financeiros para fazer o cálculo desses reajustes e quantos consumidores serão atingidos.

Agência Brasil
 
 

A Defensoria Pública da União (DPU) no Rio de Janeiro abriu procedimento para avaliar os reajustes de preços a serem aplicados pelos Correios a partir do próximo dia 6. Uma das ações da empresa é passar a cobrar R$ 3,00 para cada encomenda enviada para a cidade do Rio. A justificativa é a violência na cidade.

Os Correios também informaram que haverá um reajuste para os serviços oferecidos à população. Em média, para objetos postados entre capitais e em âmbitos locais serão reajustados em 8%.

A DPU enviou um ofício à estatal questionando quais serviços de encomenda serão alcançados pelos aumentos de preços, qual o valor de cada reajuste, quais os fundamentos financeiros para fazer o cálculo desses reajustes e quantos consumidores serão atingidos.

Impacto da insegurança nos custos

Também houve questionamentos específicos sobre a tarifa extra de R$ 3 a ser aplicada sobre os envios para o Rio de Janeiro. A DPU quer saber se há estudo conclusivo sobre o impacto da insegurança nos custos de cada um dos serviços ofertados por essa empresa para justificar o aumento.

Além disso, pergunta se houve cobranças extras também para outros estados que passam por problemas de insegurança, como Ceará, Pernambuco e Espírito Santo.

Na nota divulgada na noite de terça-feira (27), os Correios informam que a "definição de preços é sempre baseada no aumento dos custos relacionados à prestação dos serviços, que considera gastos com transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustível e contratação de recursos para segurança, entre outros."

Envie seu Comentário