30/09/2017 08h10

Embrapa Agropecuária Oeste reduz consumo de energia elétrica em 27%

A campanha intitulada "consumo consciente" esteve pautada em anúncios eletrônicos.

Divulgação (TP)
 
 

Os Gestores da Embrapa Agropecuária Oeste, em conjunto com os Comitês de Gestão Ambiental (CIGA) e de Sustentabilidade (CLS), têm trabalhado ao longo de 2017, em campanhas de conscientização para a redução no consumo de energia elétrica. Os dados de consumo de energia quando comparados o período de janeiro a agosto de 2016, com janeiro a agosto desse ano, revelam que houve uma redução de 27% no consumo em kWh.

A campanha intitulada "consumo consciente" esteve pautada em anúncios eletrônicos, ações de comunicação interna e blitz realizadas na Unidade, com o objetivo de incentivar os usuários a combater o desperdício de energia elétrica. "As blitz foram feitas em relação a uso de ar condicionado e da iluminação de forma desnecessárias. Também foram feitas reavaliações de uso de casas de vegetação, com readequações que possibilitaram o desligamento de alguns equipamentos, tais como: exaustores, câmaras frias, entre outros", explicou o supervisor do Setor de Gestão da Infraestrutura (SGI) e membro do Comitê Local de Sustentabilidade (CLS), Marno Miguel Schwingel.

A Chefe Adjunta de Administração da Unidade, Érica Alves da Silva Bonin, está satisfeita com os resultados obtidos e disse que continua contando com a colaboração dos colegas em relação ao consumo racional de energia elétrica. "Esse percentual de economia de 27% no consumo em kWh da Unidade vem num excelente momento em que toda a economia é bem-vinda além dos aspectos de sustentabilidade.

Reconhecemos que houve um esforço de todos para alcançarmos esse resultado e esperamos avançar ainda mais em relação a esses índices, ampliando o compromisso individual com a economia de energia elétrica", disse Érica.

Ela explica ainda que com o início da primavera, e aumento da temperatura, o uso de ar condicionado se intensifica. "Sabemos que isso trará um reflexo no aumento do consumo de kWh, porém devemos continuar atentos no sentido de combatermos o desperdício", destaca a gestora.

"Fizemos um trabalho de reorganização do uso dos refrigeradores dos laboratórios, com o objetivo de concentrar amostras e reduzir os espaços ociosos. Em função desse trabalho, alguns refrigeradores foram desligados o que possibilitou a substituição dos mais antigos (que consomem mais energia) por mais modernos", destacou o supervisor do Setor de Gestão de Laboratórios (SGL), Alex Sandro Vicentin Lima.

Outra informação importante é que o custo da energia elétrica no período de 17h30 às 20h30 (no horário de verão é das 18h30 às 21h30), considerado horários de pico, é 551,71% mais caro do que no restante do dia.

Envie seu Comentário