30/11/2017 14h

Brasileiros fazem fila em Pedro Juan Caballero a espera de vaga no curso de medicina

Serão oferecidas 250 vagas com a mensalidade em torno de R$ 1.500 reais.

Por: Tião Prado
 
 
Barracas de todos os tipos estão montadas nas proximidades da Universidade. Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)Barracas de todos os tipos estão montadas nas proximidades da Universidade. Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)

Desde segunda-feira, dia 27, o assunto na fronteira não é outro senão a grande fila que começou a se formar no sábado (25), nas proximidades da Faculdade de Medicina Uninort (Universidade do Norte do Paraguai), localizada na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã-MS.

Na manhã desta quinta-feira (30), a reportagem do site Pontaporainforma esteve no local e conversou com vários pais de futuros alunos que vieram das mais diversas regiões do Brasil, sendo pessoas do norte, nordeste, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Elizardo da Costa Júnior saiu de Belém (PA) para cursar medicina em Pedro Juan Caballero. Segundo ele, na sua cidade o valor da mensalidade vai de R$ 6 mil a R$ 7 mil, enquanto no Paraguai é de R$ 1.500 e o valor vai decrescendo conforme forem diminuindo as disciplinas ao longo do curso de seis anos.

O paulista Luiz Eduardo Araújo quer seguir o mesmo caminho. Ele está acampado em frente à Uninorte esperando fazer a matrícula.

Para cursar medicina em Pedro Juan Caballero é preciso apresentar os documentos pessoais e o comprovante de conclusão do ensino médio reconhecido pelo Consulado brasileiro ou paraguaio. Durante o curso, o estudante também precisa obter a cidadania paraguaia. Depois de formados, os acadêmicos precisam fazer o Revalida, caso queiram trabalhar como médicos no Brasil.

Depois de falar com os pais que estão na fila, a reportagem do Pontaporainforma foi até a secretaria da Uninorte, mas fomos informados pela secretária Patrícia Gomez que o diretor da instituição Sérgio Ortiz não estava no local naquele momento, mas ela gentilmente nos passou as informações necessárias, informando que as matriculas vai acontecer no próximo sábado, dia 2 de dezembro, a partir das 8 horas da manhã.

 
Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)

Patrícia fez questão de informar que nos 16 anos que a Universidade está em funcionamento nunca aconteceu de um numero tão grande de pais fazer essa fila para matricular os seus filhos ou parentes.

Serão disponilizadas 250 vagas para o curso de medicina, mas corre o boato que o número de pais na fila giram em torno de 300 a 350 pessoas até agora, sendo que a fila já dobra a esquina e muitas pessoas estão acampadas em barracas improvisadas de todos os tipos, inclusive várias listas de pais estão sendo feitas entre os acampados.

Patrícia informou também que a Universidade não tem nada a ver com a fila, mas alguns pais informaram a reportagem que pessoas estão vendendo lugar na fila por até 3 mil reais e garantindo a inscrição no curso de medicina oferecido pela Universidade.

No momento do ingresso na Universidade o aluno paga a matricula de dois milhões e quinhentos mil Guaranis, que pelo cambio de hoje sai em torno de 1.500 reais, mais 10 mensalidades no mesmo valor e o aluno estando em dia com as mensalidades não paga para fazer as provas.

"O fato de ter essa fila ai fora vem demonstrar a credibilidade que estamos tendo, uma vez que saiu a certificação da ANEAS, que é uma agencia nacional do Paraguai que faz a supervisão da qualidade do ensino nas instituições de ensino superior nas Universidades e também aos 16 anos de funcionamento na cidade e 7 turmas formadas " disse Patrícia Gomez.

O curso de medicina no Paraguai dura seis anos. Profissionais graduados na área da saúde no Brasil não conseguem reduzir esse tempo. Algumas matérias podem até ser creditadas, mas o aluno vai ter que esperar os seis anos para ser considerado formado. As aulas são em espanhol.

Com informações de Helio de Freitas, de Dourados

 
Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)