Destaque

Escola Estadual Adê Marques de Ponta Porã é grande destaque em Maratona da USP

O objetivo da Maratona é promover o desenvolvimento de projetos para dispositivos móveis

06/11/2018 09h30 - Divulgação (AD)

Estudantes da Escola Estadual Adê Marques, de Ponta Porã, foram premiados na Maratona Unicef Samsung Tecnologias Móveis nas Escolas, organizada pela Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef e Samsung que foi realizada na Universidade de São Paulo (USP).

A Maratona foi realizada por um período de seis meses. Escolas públicas de todo o Brasil foram convidadas para participar desenvolvendo aplicativos para celular, com o objetivo de melhorar a educação. De quase duzentas equipes inscritas, trinta e uma foram classificadas e premiadas com equipamentos e cinco mil reais para seguirem desenvolvendo o aplicativo.

O objetivo da Maratona é promover o desenvolvimento de projetos para dispositivos móveis que visem a utilização de aplicativos (APPs) nas salas de aula de ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, fazendo com que o estudante não seja mero consumidor de tecnologia, mas alguém que cria usando tecnologia.

A equipe é composta pelos estudantes Alexsandro Pereira da Silva, Júlio César de Lima Costa, Rafael Viana Nunes, Lucas Luan Gonçalves, dos Cursos Técnico em Jogos Digitais e Técnico em Manutenção e Suporte à Informática coordenados pelos Professores Diego Izidro de Souza Gomes e Fernandes Gonçalves Filho.

O aplicativo APPlantas foi desenvolvido pelos estudantes sob a orientação do Professor Diego Izidro de Souza Gomes que inscreveu a equipe para a Maratona. O Applanta é uma sala de aula virtual na qual o professor cadastra e convida sua turma para participar e realizar tarefas e atividades offline e online. Nesse ambiente virtual de aprendizagem, o estudante torna-se um pesquisador exercendo, assim, o protagonismo juvenil.

Ele (APPlanta) pode ser utilizado por mais de um professor nas turmas, ou seja, o professor de ciências, por exemplo, que abriu a sala de aula virtual pode convidar professores de outras disciplinas (da mesma turma) para contribuir na correção das atividades, As salas de aula tem acesso restrito para os professores e turmas cadastradas, porém, todas as postagens das plantas e das atividades podem ser visualizadas e comentadas por todos os usuários do aplicativo, formando uma rede social e de conhecimento de plantas contribuindo para a motivação do aprendizado, já que o educando tem um leitor real.

Participaram da Maratona todos os estudantes envolvidos no projeto, o orientador Diego Izidro e a Progetec Lídia Cristiane Meireles Valensuela.

Envie seu Comentário