28/02/2018 14h30

"Ele estava batendo na minha mãe", afirma à polícia garoto que matou padrasto

Crime aconteceu na noite de sábado (dia 24), na casa em que a família vivia, na Rua Vaz de Caminha, no Jardim Noroeste

Campograndenews
 
 
Vítima foi morta enforcada na varanda da casa em que vivia (Foto: André Bittar)Vítima foi morta enforcada na varanda da casa em que vivia (Foto: André Bittar)

Em depoimento à polícia, o adolescente de 17 anos disse que matou o padrasto, Cristiano de Jesus Martins, 27 anos, com golpe conhecido como mata-leão para defender a mãe. "Ele estava batendo na minha mãe. Ele iria matar ela", disse em interrogatório, no domingo (dia 25), na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. O caso aconteceu na noite de sábado (dia 24), na casa em que a família vivia, na Rua Vaz de Caminha, no Jardim Noroeste, em Campo Grande.

O adolescente contou que no dia do crime, a mãe, Renata Cristina Vicente da Silva, 34 anos, e o padrasto ouviam música e consumiam bebida alcoólica. Ele estava no quarto, quando de repente, ouviu a mãe pedindo por ajuda porque estava sendo espancada pelo padrasto. "Eu fui até lá e tentei separar os dois. Mas eles continuaram brigando e foram para o fundo da residência", disse.

Ainda conforme relatos do garoto à polícia, o padrasto dizia que iria comprar uma arma e matar ele e a mãe dele. Na sequência, enquanto Cristiano sentou-se em um mureta, o adolescente aproveitou o momento de distração para imobilizá-lo com golpe mata leão. "Não soltei ele, porque fiquei com medo dele se levantar e matar a gente. Minha mãe disse que ele estava bêbado e tinha cheirado cocaína".

Questionado se tinha raiva do padrasto, o adolescente disse que não. Cristiano e Renata viviam juntos há pouco mais de dois anos. Renata é suspeita de ter incentivado o filho a matar o padrasto, que morreu asfixiado. Em relatos, testemunhas disseram que a mulher gritava para o filho: Enforca ele! Enforca ele, Enforca ele! Renata nega a acusação. Segundo o garoto, o casal brigava todos os dias. Renata foi presa em flagrante e o adolescente apreendido.

Alcoolismo - De acordo com um vizinho da casa, que pediu para não ser identificado, as brigas entre o casal eram constantes - com gritaria e pancadaria. O motivo seria por causa de dinheiro. Renata tem problemas com álcool e no fim do ano passado, pouco antes do Natal, perdeu o convívio com os quatro filhos pequenos após denúncia de abandono. "Ela saía para beber e deixava as crianças sozinhas, inclusive um bebê com menos de 1 ano", disse.

Depois que as crianças foram levadas pelo Conselho Tutelar, o filho mais velho foi morar com a mãe, segundo relatos. "Sempre tinha briga na casa. No mês passado, a Polícia Militar foi acionada porque o casal agrediu um parente", contou o morador. Renata tem passagens pela polícia por furto e responde a processo pelo crime. O adolescente não era fichado e cursava o primeiro ano do Ensino Médio.

Envie seu Comentário