26/01/2018 14h30

"Madrinha" do PCC é presa por envolvimento em decapitação

Ela foi presa no fim da tarde de ontem (25), no Jardim Novo Esperança, em Itaquiraí, MS

Campograndenews
 
 

Investigada por envolvimento na morte de José Carlos Figueiredo, 41 anos, Cléia Ricarda Aveira, 40 anos, conhecida como "Madrinha", foi presa no fim da tarde de ontem (25), no Jardim Novo Esperança, em Itaquiraí, MS. Cleia foi trazida a Campo Grande e deve ser transferida para o presídio feminino.

No dia 18 deste mês, a justiça decretou a prisão preventiva de 11 envolvidos na morte de José Carlos, encontrado decapitado, com mãos e pés amarrados, na cachoeira do Céuzinho, em novembro do ano passado, em Campo Grande. O homem foi vítima da guerra entre PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho.

Segundo a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual, José Carlos foi morto por supostamente ter agredido o filho de um dos suspeitos e ainda por envolvimento com a facção rival. A vítima e o filho, de 16 anos, foram sequestrados no dia 18 de novembro, em frente a um comércio do Jardim Conrado.

Três dias depois, o adolescente foi liberado, mas o pai permaneceu em poder da facção até ser "julgado" pelo Tribunal do Crime e executado. Ainda conforme as investigações, José foi mantido em cativeiro em quatro endereços diferente durante esse tempo: no Jardim São Conrado, no Jardim Noroeste, no Bairro Taveirópolis e nas Moreninhas.

Ainda conforme a denúncia, José foi submetido a interrogatórios e a torturas durante os dias que foi feito refém. Após ser morto, foi decapitado e teve o corpo e a cabeça envoltos em um cobertor e sacos plásticos, que foram jogados em pontos diferentes do Inferninho. O corpo foi encontrado no dia 28 de novembro.

Envie seu Comentário