BR-163

Além de carreta, explosão também destruiu R$ 11 mil em espécie no Mini Anel Viário

Motorista de 57 anos seguia com carbonato de cálcio para entregar no MT

17/06/2018 06h20 - Correio do Estado

 
Carreta ficou destruída após colisão frontal neste sábado. - Foto: Foto: Bruno HenriqueCarreta ficou destruída após colisão frontal neste sábado. - Foto: Foto: Bruno Henrique

Antônio José Comparim, de 57 anos, motorista da carreta destruída por incêndio na tarde deste sábado, após colisão frontal no Mini Anel Viário da BR-163, em Campo Grande, contabiliza os prejuízos. Além do veículo, ele teve R$ 11 mil em espécie destruídos na cabine e estava pagando reparos no motor avaliado em R$ 34 mil. O motorista da outra carreta, de 36 anos, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para a Santa Casa da Capital.

Morador em Antônio Prado, no interior do Rio Grande do Sul, Antônio relatou que seguia para Rondonópolis (MT) com carbonato de cálcio (não calcário, como noticiado anteriormente), material usado na composição de ração animal. Ele explica que ao se aproximar do trevo de acesso à Avenida Guaicurus, na BR-163, foi surpreendido pela outra carreta que transportava bebidas. "O cara invadiu minha pista e não pude fazer nada. Se fosse outro veículo menor, ele tinha passado por cima", disse.

Segundo ele, logo após o impacto, houve uma explosão seguida de incêndio. "Eu desci rápido e até pensei em voltar para pegar o dinheiro, mas não deixaram por causa do fogo. Não me sobrou nada, até o sapato eu perdi. Sobrou só a bermuda e a calça", lamentou. Para Antônio, tudo poderia ter sido evitado. "Não sei o que deu nele. Poderia ter matado alguém", pontuou o motorista, que espera que o colega seja responsabilizado. "Tem que fazer um teste de bafômetro nele. Tudo o que eu tinha acabou por causa de um irresponsável".

 

Envie seu Comentário