25/09/2017 15h30

Corpo é encontrado em "barraco" na mata em Amambai

O cadáver estava em avançado estado de decomposição.

A Gazetanews
 
 
Foto: Vilson NascimentoFoto: Vilson Nascimento

O corpo de uma pessoa ainda sem identificação oficial foi localizado dentro de um barraco na manhã dessa segunda-feira, 25 de setembro, em Amambai.

O barraco fica situado dentro de uma restinga de mata ciliar de um afluente do Rio Panduí, lado direito da Rodovia MS-289, trecho que liga Amambai a Coronel Sapucaia.

A Polícia Civil de Amambai que trabalha no caso foi avisada sobre a existência do corpo após denúncia anônima feita à Polícia Militar local.

De acordo com a polícia no interior e nas proximidades do barraco foram encontradas roupas masculinas e várias peças de roupas femininas, além de mantimentos.

Uma pedra encontrada próxima a cabeça vítima, que pelo estado que se encontrava poderia estar morta há pelo menos 20 dias, segundo a polícia, levanta a suspeita, segundo os investigadores, que a vítima em questão possa ter sido assassinada.

Em meio aos vários pertences existentes no barraco os policiais não encontraram nenhuma documentação que indicasse a identidade oficial da pessoa apenas uma receita e um pedido de exame realizado no dia 28 de agosto deste ano, junto ao Hospital Regional de Amambai em nome de Gelson Saucedo.

A reportagem do A Gazetanews confirmou junto ao hospital que no dia 28 do mês passado um homem de 38 anos com esse nome havia passado por consulta no HR.

Na ocasião ele teria dado apenas o nome de Gelson Saucedo, mas não havia apresentado nenhum documento de identificação, porém teria assumido o compromisso de trazê-los posteriormente.

Do hospital Gelson Saucedo teria saído com encaminhamento marcado para coletar material para exames laboratoriais para o dia 11 deste mês (setembro), no Laboratório Central, em Amambai.

Nossa reportagem apurou que uma pessoa com o nome Gelson Saucedo tinha cadastro no Laboratório em Amambai datado de 2004, mas desde essa data não havia passado mais pelo Laboratório Central, segundo os registros. A polícia trabalha no caso.

Envie seu Comentário