Rota do tráfico

Em Amambai, Polícia Civil incinera quase 10 toneladas de drogas

Maconha, cocaína, haxixe, Skank e crack foram apreendidos no decorrer dos últimos meses em Amambai, Tacuru e Coronel Sapucaia.

16/01/2019 06h50 - Agazetanews

 
A operação montada para o transporte e a queima da droga foi coordenada pelo delegado titular de Polícia Civil em Amambai, Dr. Pedro Ramalho. (Fotos: Vilson Nascimento)A operação montada para o transporte e a queima da droga foi coordenada pelo delegado titular de Polícia Civil em Amambai, Dr. Pedro Ramalho. (Fotos: Vilson Nascimento)

A Polícia Civil incinerou nessa terça-feira, 15 de janeiro, em Amambai, quase dez toneladas de drogas.

O entorpecente, cerca de 9,4 mil quilos de maconha e o restante divididos em crack, cocaína, Skank e haxixe, em sua maioria é fruto de apreensões realizadas pela própria Polícia Civil, pela Polícia Militar, a Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRE) e pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) em área sob jurisdição da Delegacia de Amambai nos últimos quatro meses, já que no início de outubro do ano passado (2018) a Polícia Civil local já havia incinerado 10,7 toneladas de entorpecentes.

Das quase dez toneladas de drogas queimadas nessa terça-feira (15), 300 quilos de maconha vieram da Delegacia de Polícia Civil de Tacuru e uma tonelada era fruto de apreensões realizadas na região e encaminhadas para a Delegacia de Polícia Civil de Coronel Sapucaia, na fronteira com o Paraguai.

A incineração, que foi coordenada pelo delegado titular de Polícia Civil em Amambai, Dr. Pedro Ramalho, teve apoio do Exército Brasileiro através do 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado (17º RC Mec), que realizou o transporte e fez a escolta armada do entorpecente da Delegacia até o local da incineração e da Prefeitura de Amambai que forneceu mão de obra para carregar e descarregar o entorpecente.

 

O ato de incineração foi acompanhado pela Vigilância Sanitária do município, em Amambai, que foi representada pelo médico veterinário Ednor Bampi e pelo Ministério Público Estadual (MPE), representado pelo profissional da carreira no órgão de defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais, Joel Bortolan.

Devido a proximidade com o Paraguai a área de abrangência da Delegacia Regional de Polícia Civil de Ponta Porã, sobretudo Amambai é considerada rota do tráfico internacional de drogas e uma das localidades onde mais se apreende drogas no Brasil.

Envie seu Comentário