Policia

Em Ponta Porã, homem morre após abordagem policial

A ocorrência foi atendida pela Força Tática do 4º BPM.

12/01/2019 01h- Por: Tião Prado

 
Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)Foto: Tião Prado (Pontaporainforma)

Por volta das 22h30min, a Força Tática do 4º BPM de Ponta Porã estava fazendo dilignecias no bairro Jardim das Rosas, próximo ao Andreaza, quando avistaram um veículo Ford KA, de cor prata, placa BAI 2997, de Curitiba – PR que realizava manobras perigosas. De imediato, os policiais deram ordem de parada, que não foi obedecida pelo condutor do veículo que ainda saiu em alta velocidade indo a estacionar em frente a sua residência, sendo que os policiais chegaram e pediram para que o condutor descesse do veículo, ocorrendo uma discussão. Nesse momento, os policiais já notaram que o condutor estava embriagado.

O condutor do veículo foi identificado como Cristian Matias da Rosa, de 37 anos, residente no endereço em que estacionou o carro, ou seja, na Rua Manoel Martins, 130.

Cristian Matias da Rosa ficou bastante nervoso com a abordagem. O homem foi convidado a entrar no camburão, aceitando a princípio, porem acabou por entrar em luta corporal com os policiais que ao tentar algemá-lo acabaram, conforme relato da mãe de Cristian, dona Tereza da Rosa, por dar uma gravata, ou um mata-leão, o que deixou Cristian meio que desacordado. O homem foi colocado no camburão e levado ao batalhão 4º BPM.

Porem, ao chegar no batalhão, os policiais perceberam que Cristian estava passando mal, espumando pela boca e arroxeado. Imediatamente, os policiais o levaram até o Hospital Regional, porem, já chegou sem vida.

A família e os policiais aguardam o laudo médico para saber a causa da morte.

Os familiares foram para a delegacia do 1º DP para registrar o boletim de ocorrência, inconformados com o que aconteceu.

Juliano Cortez Toledo, delegado responsável pelo inquérito, esteve no hospital conversando com o médico que lhe informou que Cristian chegou sem vida, sendo constatado a embriaguez e o corpo foi encaminhado ao IML. O delegado, ao receber o boletim de ocorrência, ouvirá os familiares.

O tenente coronel da Polícia Militar, Carlos Magno da Silva, está acompanhando o caso no 1º Dp de Ponta Porã.

Envie seu Comentário